A PARTIR DA INTENÇÃO

Como aplicar a parentalidade consciente em tempos de isolamento?

Não sei como está a correr o isolamento social por esses lados. Por aqui está a correr surpreendentemente bem. E tenho um palpite do porquê.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

Tenho tido muito presente uma das minhas perguntas preferidas: “O que é o mais importante agora?” Mais do que nunca, sinto a importância de questionar as coisas que “têm” e “devem” ser feitas e, mais do que nunca, sinto a importância de ter intenções bem claras em relação à mãe que quero ser e à relação que quero ter com os meus filhos.

Por isso não mantivemos uma rotina parecida com o dia a dia normal. Em alguns dias, há horários fixos, reuniões e aulas online . A hora de deitar tem sido mais ou menos constante, embora mais tarde do que o normal. Mas os outros horários são mais fluidos. A hora de acordar, a hora de treinar, a hora de trabalhar…

Em vez da rotina, há um ritmo. Cada um sabe o que há para fazer e organiza-se de acordo com a energia que tem, as vontades que tem, as necessidades que tem… e também com respeito pelo ritmo dos outros. Há uma intenção comum.

Sabemos claramente todos que não estamos de férias. E ninguém está com uma sensação de férias. Mas a verdade é que há uma calma, uma tranquilidade e uma leveza nesta nossa bolha que todos estamos a apreciar.

Há conflitos e frustrações ocasionais. Quando os ritmos não estão em harmonia, e há duas pessoas que querem jogar jogos diferentes na Playstation ou ver coisas diferentes na TV, ou quando eu me sinto sozinha na cozinha ou na lavandaria e abano um pouco o ritmo dos outros, ou quando alguém quer descansar e outro está a fazer barulho, ou quando precisa de ajuda na Escola Virtual, ou quando a net não colabora com o upload ou o download de um ficheiro pesado… Mas são poucos esses momentos.

E o nosso “segredo” está claramente na intenção comum. Uma intenção que assenta nos quatro valores da Parentalidade Consciente. Todos aqui temos o mesmo valor, temos o direito de exprimir as nossas opiniões, necessidades, pensamentos, desejos e emoções livremente sem sermos julgados (o que não significa que nos podemos comportar de qualquer maneira). Procuramos respeitar a integridade de cada um, temos espaço para ser autênticos e cada um assume a sua responsabilidade pessoal, por si, pelas suas tarefas, pelas suas escolhas. Estes valores são os pilares que nos ajudam a construir a família em que queremos viver. E quando não estamos a viver a harmonia que procuramos, quando há conflitos e confusão, é sempre porque alguém se esqueceu de praticar um ou vários desses valores.

E, claro, a resolução passa por voltar aos nossos pilares e realinharmo-nos com a intenção. Mas isto só funciona se houver uma intenção e se houver pilares para onde voltar.

As intenções e os valores nos dias normais são os mesmos de agora. São constantes e presentes em cada momento. E quando o contexto muda, como sabemos bem quais são, as estratégias que utilizamos para lidar com o contexto têm uma direção clara. Não ficamos confusos ou inseguros. Um isolamento não põe em causa aquilo que acreditamos ser a base para a nossa família.

Se ainda não definiste as tuas intenções como mãe/pai, se ainda não há valores bem definidos para a vossa família (e exemplos de como viver esses valores e aplicar as intenções), então este tempo de isolamento social é uma excelente altura para fazerem este trabalho base da parentalidade consciente. E vais ver como isso te vai ajudar agora, e no futuro.

(Se sentes que precisas de entender melhor o que significam os valores da parentalidade consciente e como definir intenções, está tudo explicado no meu livro Educar com Mindfulness  Guia de Parentalidade Consciente para Pais e Educadores ).

Mikaela ÖvénEstudou ciências comportamentais na Universidade de Lund, Suécia, e é licenciada em Recursos Humanos com a especialidade de desenvolvimento de competências pela Universidade de Malmo, Suécia. É coach e practitioner em Programação Neurolinguística, certificada em Competências de Relacionamentos nas Escolas, facilitadora Family Lab e instrutora de Mindfulness certificada desde 2012. Estudou Generative Coaching, Family Communications e Positive Parenting. É também fundadora da Academia de Parentalidade Consciente. Trabalha também com empresas, organizações, escolas e infantários, facultando workshops, cursos e consultoria. É mãe de 3 filhos.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.