PSICOLOGIA

Próximo ano letivo: que prioridades?

Na organização das rotinas, e porque o tempo não estica, há dois rituais que me parecem esquecidos: a hora de dormir e o tempo de brincar. Não tenho dúvidas que, devido ao ritmo de vida atual, as horas de sono e o tempo da brincadeira são os mais sacrificados, na maioria das famílias!
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Se questionarmos as famílias com filhos em idade escolar relativamente aos pensamentos que lhes ocorrem durante as férias, o regresso à escola surge com um dos inevitáveis, até porque este retomar de atividades exige uma preparação prévia, não só em termos materiais, como também no que se refere à organização das rotinas diárias. As rotinas, de que tantas vezes nos queixamos, são fundamentais para as crianças, pois ajudam-nas a saber o que é preciso fazer, quando, com que sequência e com quem. Porque as rotinas tornam os dias mais previsíveis, ajudam as crianças a sentirem-se mais seguras.

As grandes questões que se devem colocar relativamente à rotina são a forma como ela é organizada e quais são as prioridades tidas em conta na sua definição. No final do dia as famílias "encaixam" os filhos em múltiplas atividades, que podem ter um carácter mais físico ou mais intelectual. Depois de várias horas "enfiados" em salas de aula, ainda são colocados num outro contexto ou atividade, mais ou menos motivadores. Não há, nestas palavras, uma crítica a este tipo de opção, até porque, em muitas famílias, o horário de trabalho dos pais não permite fazer uma gestão do tempo diferente. Na organização das referidas rotinas, e porque o tempo não estica, há dois rituais que me parecem esquecidos: a hora de dormir e o tempo de brincar. Não tenho dúvidas que, devido ao ritmo de vida atual, as horas de sono e o tempo da brincadeira são os mais sacrificados, na maioria das famílias!

Quem trabalha em contexto escolar já se apercebeu que estamos a pagar caro o facto de algumas famílias terem colocado o sono em segundo plano, esquecendo que se trata de uma necessidade vital e que, por isso, o seu horário deve estar bem definido na rotina diária. Se não houvesse televisão, computador, Internet, Playstation, era mais fácil impor horários; mas assim, tudo se complica, pois a hora de ir dormir é a eterna sacrificada! Durante o sono, muitos processos importantes acontecem no organismo, sendo que dormir é essencial, por exemplo, para o desenvolvimento do cérebro e do corpo. Os estudos mostram que não dormir diariamente o número de horas necessárias pode ter consequências muito mais graves para as crianças, tais como obesidade, menor resistência às doenças, problemas de comportamento, como hiperatividade, impulsividade e desatenção. Estes últimos fazem-se sentir fortemente nas escolas, afetando o comportamento e a aprendizagem dos estudantes. Todas estas consequências estão claramente referidas na literatura da especialidade. Quando falo com os alunos apercebo-me que muitos se deitam tardíssimo. Alguns deles dizem que se deitam a essas horas, porque acompanham uma telenovela na companhia dos pais!

Para garantir o desenvolvimento saudável da criança é muito importante conhecer as necessidades habituais de sono, em função da etapa do desenvolvimento em que ela se encontra. É essencial levá-la a adquirir bons hábitos de sono desde muito cedo.

Face ao exposto, parece-me fundamental que, ao serem pensadas as rotinas para o ano que agora se inicia, cada família considere as necessidades de cada um dos seus elementos, tendo em atenção a hora a que saem e a que habitualmente chegam a casa, para encontrarem tempo para brincadeiras, higiene, alimentação e sono. Pode parecer até estranho falar de tudo isto, mas na correria do dia a dia, por vezes, o essencial é esquecido.
Adriana CamposLicenciada em Psicologia pela Universidade do Porto, na área da Consulta Psicológica de Jovens e Adultos e mestre em Psicologia Escolar. Detentora da especialidade em Psicologia da Educação e das especialidades avançadas em Necessidades Educativas Especiais e Psicologia Vocacional e de Desenvolvimento da Carreira atribuída pela Ordem dos Psicólogos Portugueses. Atualmente desenvolve a sua atividade profissional no Agrupamento de Escolas do padrão da Légua em Matosinhos.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.