PEDIATRIA

Novas vacinas contra o meningococo A, C, W e Y

A Nimenrix® e a Menveo® são vacinas que protegem contra a infeção causada por quatro grupos diferentes da Neisseria meningitidis, também chamada de meningococo.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

O que é a Neisseria meningitidis?

A Neisseria meningitidis, também chamada de meningococo, é uma bactéria que causa doença meningocócica. A doença meningocócia pode apresentar-se de três formas: meningococemia (ou sépsis), meningite ou meningococemia com meningite. A meningococemia (ou sépsis) é uma infeção do sangue, generalizada e grave. A meningite é uma inflamação das meninges (as membranas que protegem o cérebro e a medula espinal) que pode lesionar o cérebro ou a medula.

Existem doze grupos de Neisseria meningitidis. Destes doze grupos, seis são responsáveis pela maioria das doenças em humanos - os grupos A, B, C, W135, X, Y.

Quais são os sintomas da infeção por Neisseria meningitidis?

A doença meningocócica é pouco frequente e atinge sobretudo as crianças abaixo dos 5 anos, com pico de incidência entre os 2 meses e os 2 anos, embora também possa ocorrer na adolescência.

A infeção por Neisseria meningitidis manifesta-se inicialmente por sintomas inespecíficos, ou seja, sintomas presentes em várias infeções diferentes, nomeadamente nas viroses e gastroenterites. O sintoma mais frequente é a febre, podendo estar inicialmente associada a vómitos, diarreia, dor da garganta, dores no corpo e sintomas respiratórios altos como obstrução nasal e “pingo no nariz”.

Na maioria dos casos de doença meningocócica existe meningite associada, por isso pode também surgir dor de cabeça, alteração do estado da consciência, prostração, irritabilidade, sonolência, dificuldade na mobilização do pescoço (rigidez da nuca) ou "moleirinha" elevada nas crianças mais pequenas.

A evolução é habitualmente fulminante, agravando rapidamente e sendo caracterizada por mau estado geral, petéquias (pintas vermelhas” na pele que não desaparecem quando se pressiona com o dedo) e púrpura (manchas vermelhas ou roxas de maior dimensão). A criança pode entrar em choque, com falência de vários órgãos, podendo evoluir para um desfecho fatal. Infelizmente podem existir sequelas associadas como a perda de audição, atraso do desenvolvimento, cicatrizes da pele ou amputações dos dedos das mãos ou dos pés. A taxa de mortalidade ainda permanece elevada.

Como se transmite?

A Neisseria meningitidis aloja-se” na boca das pessoas, sem causar doença (estado de colonização ou “portadores saudáveis”). As idades em que há maior taxa de colonização são a adolescência e o início da vida adulta.

A transmissão é feita pelo contacto pessoa a pessoa, através de gotículas e secreções respiratórias contaminadas de um portador doente ou saudável.

Nos países industrializados, a maioria dos casos ocorre nos meses de inverno e na primavera.

Qual é o tratamento?

O tratamento é feito com antibióticos endovenosos, que têm de ser iniciados o mais precocemente possível para tentar evitar as complicações da infeção.

Pela gravidade da infeção, as crianças são internadas em Unidades de Cuidados Intermédios ou Intensivos Pediátricos.

Como se previne?

A prevenção faz-se através da vacinação.

As vacinas incluídas no Programa Nacional de Vacinação (PNV) protegem contra dois grupos de meningococo, o B e o C. A Nimenrix® e a Menveo® contra quatro grupos diferentes: A, C, W e Y.

Vacinas incluídas no PNV:

-  A vacina contra o meningococo do grupo B (Bexsero®) está incluída no PNV desde o dia 1 de outubro de 2020 e é administrada em três doses, aos 2, 4 e 12 meses de idade.

- A vacina contra o meningococo do grupo C (MenC®) foi disponibilizada em Portugal no mercado privado em 2002, e está incluída no PNV desde 2006. Desde 2012 e´ apenas administrada uma dose aos 12 meses de idade.

Nimenrix® e a Menveo®:

A administração de uma dose destas vacinas aos 12 meses de idade, dispensa a administração da vacina contra o grupo C incluída no PNV.

O esquema de vacinação varia consoante a idade em que é feita a primeira dose.

Esquema de vacinação com Nimenrix®:

Grupo etário

Imunização primária

Intervalos entre doses 

Dose de reforço

A partir das 6 semanas e < 6 meses

2 doses

2 meses entre as doses

Uma dose aos 12 meses, com um intervalo de pelo menos 2 meses após a administração da última dose

≥ 6 meses a < 12 meses, não vacinados

1 dose

 

Uma dose aos 12 meses, com um intervalo de pelo menos 2 meses após a administração da última dose

A partir dos 12 meses, não vacinados

1 dose

 

 

 

Esquema de vacinação com Menveo®

Grupo etário

Esquema recomendado

 

A partir dos 2 anos

1 dose

 

 

 

 

 

Fonte – Recomendações sobre Vacinas Extra PNV (atualização 2020) - Comissão de Vacinas da Sociedade de Infecciologia Pediátrica (SIP) e Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP) – adaptado.

Estas vacinas são seguras?

Há vários estudos que comprovam a segurança destas vacinas, por isso pode-se considerar que sim, são seguras.

Devo vacinar o meu filho?

A doença provocada pelo meningococo A, C W ou Y, embora rara, é extremamente grave e pode ser fatal. Embora a vacina não garanta 100% de proteção é uma importante arma que podemos oferecer às nossas crianças e que a Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP) recomenda.

A imunidade de grupo só poderá ser atingida se as coberturas vacinais forem elevadas, o que habitualmente só é conseguido com vacinas incluídas em PNV. Em Portugal, estando a vacina apenas no mercado privado, a vacinação tem como objetivo a proteção direta e individual.

 

Ana Luísa de Carvalho, com a colaboração de Maria Miguel Gomes, Pediatra do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga.

Serviço de Pediatria do Hospital de BragaEste espaço é da responsabilidade da equipa médica do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga, instituição certificada pelo Health Quality Service (HQS).
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.