EDUCAÇÃO

Na hora de estudar há que saber o que fazer

As sugestões que adianto podem ser aplicadas por estudantes de qualquer nível etário e de qualquer nível de ensino. Mas, atenção, trata-se de sugestões e não de receitas.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

A relevância do desenvolvimento da autonomia dos estudantes no seu processo de aprendizagem e de estudo ganhou maior visibilidade durante os meses de confinamento e de ensino a distância ocorridos em 2020 e 2021. Nesse âmbito, é fundamental saber organizar uma sessão de estudo, a fim de que este seja consciente e eficaz. As sugestões que adianto podem ser aplicadas por estudantes de qualquer nível etário e de qualquer nível de ensino. Mas, atenção, trata-se de sugestões e não de receitas.

Uma sessão de estudo deve ter três momentos distintos, mas interligados:

ANTES – Antes de começar a estudar, preparar todo o material que vai ser necessário e colocá-lo no local de estudo. Seguidamente, responder às seguintes questões: “Que objetivos tenho para esta sessão de estudo? O que preciso de saber no fim desta sessão de estudo? Onde encontro essa matéria no meu manual da disciplina (n.º das páginas) e/ou no caderno diário (n.º e data dos sumários) e noutros materiais de estudo (sites na Internet, gramática, enciclopédia, etc.)? Que atividades vou fazer (por exemplo, tirar notas, elaborar um esquema, fazer exercícios de aplicação)?”

DURANTE – Estudar os conteúdos pretendidos realizando as atividades que foram definidas. Estas podem ser reformuladas durante a sessão de estudo, se outras vierem a mostrar-se mais produtivas.

DEPOIS – No final, verificar se os objetivos estabelecidos para a sessão de estudo foram atingidos. Em caso negativo, procurar analisar quais os motivos; encontrados esses problemas, definir formas de os ultrapassar, para estudar novamente, mas com mais eficácia.

Na fase “durante” há diversas atividades que podem ser realizadas e que, além de contribuírem para manter a concentração no estudo, podem facilitar a avaliação final do mesmo (fase “depois”) ou a revisão dos conteúdos em sessões de estudo subsequentes. Aqui ficam algumas sugestões:

- Elaborar perguntas sobre os conteúdos estudados e escrevê-las à margem do texto ou num post it que se deixará colado nessa página. É bom ter presente que, para se fazer uma pergunta, é necessário ter compreendido a matéria. Essas perguntas podem ser respondidas na fase “depois”, para verificação da eficácia da aprendizagem, ou em futuras sessões de estudo.

- Registar comentários, ideias para aprofundar o tema, modos de relacionamento dessa matéria com outros conteúdos da mesma ou de outra disciplina, dúvidas para tirar posteriormente. Estas anotações podem ser feitas na página do livro, na sua margem; num post it; num caderno diário. Poderão ser úteis para desenvolver o estudo do tema, para fazer revisões, para esclarecer dúvidas.

- Anotar as ideias principais ao longo da sessão de estudo; no final, organizá-las num esquema ou num mapa de ideias. O processo de organizar a informação desta forma favorece uma compreensão mais aprofundada. Esse esquema/mapa de ideias pode ser utilizado para fazer revisões.

As três fases de uma sessão de estudo aqui propostas podem ser levadas a cabo com diferentes graus de orientação por parte dos professores e, desejavelmente, com crescente autonomia por parte dos estudantes. Importa que os professores deem sugestões diversificadas para o estudo autónomo dos alunos em casa, contemplando algum tempo das aulas para a sua prática. Importa, também, que os estudantes vão aprendendo a definir técnicas de estudo mais apropriadas para as várias disciplinas e a identificar aquelas com que conseguem melhores resultados. Aproximamo-nos da época de exames. Também neste período de revisão da matéria de um ou de vários anos estas sugestões têm pertinência.
 

Armanda ZenhasProfessora aposentada. Doutora em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. Mestre em Educação, área de especialização em Formação Psicológica de Professores, pela Universidade do Minho. Autora de livros na área da educação.
Professora profissionalizada nos grupos 220 e 330. Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas, nas variantes de Estudos Portugueses e Ingleses e de Estudos Ingleses e Alemães, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Professora profissionalizada do 1.º ciclo, pela Escola do Magistério Primário do Porto.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.