PEDIATRIA

Telarca precoce – afinal, quando é normal aparecer a “maminha” na menina?

O desenvolvimento da glândula mamária na menina (visível pelo aparecimento de “maminha”) chama-se telarca. Habitualmente é o primeiro sinal de puberdade e ocorre entre os 8 e os 13 anos. Quando acontece antes dos 8 anos denomina-se de telarca precoce, e apesar de na maioria das vezes não se associar a qualquer problema, pode em casos mais raros indicar que a puberdade se está a iniciar precocemente.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

O que leva ao desenvolvimento precoce da mama?                                                           
Várias hormonas influenciam o desenvolvimento da glândula mamária, como por exemplo os estrogénios, a progesterona, a prolactina ou a testosterona. Durante a puberdade os sistemas de produção dessas hormonas são ativados conduzindo às alterações típicas dessa fase. No entanto, durante os primeiros 2 anos de vida das meninas, o sistema que leva à produção de estrogénios pode estar parcialmente ativo, ainda que menos do que na puberdade, denominando-se este período de mini-puberdade, e podemos ter a glândula mamária com algum grau de desenvolvimento.                               

Entre os 2 anos e a puberdade, pode ocorrer telarca precoce, e os mecanismos são menos claros, havendo várias hipóteses possíveis:
-    Aumento de sensibilidade da mama aos estrogénios em quantidade normal;
-    Aumento do nível de estrogénios:
o    Produção espontânea de estrogénios pelos ovários;
o    Produção de estrogénios noutros tecidos (como por exemplo na gordura);
o    Tumores muito raros que podem produzir estrogénios (nestes casos rapidamente há outras alterações além do desenvolvimento mamário);
o    Consumo de produtos contendo estrogénios (soja, produtos cosméticos com óleo de lavanda ou óleo da árvore do chá ou mesmo medicação usada na menopausa ou pílulas contracetivas);
o    Consumo de produtos contaminados com químicos semelhantes ao estrogénio.

Mas a minha filha tem mama desde que nasceu…
Ao nascimento, os bebés já podem ter a glândula mamária desenvolvida, quer sejam menina ou menino, e isso acontece devido à passagem das hormonas maternas para o bebé através da placenta. Chama-se a isto hiperplasia mamária do recém-nascido. Em alguns casos normais, pode haver escorrência tipo “leite” da mama do bebé. Mas em nenhuma situação se deve espremer a mama do bebé, uma vez que pode levar ao aparecimento de infeção (mastite) ou ao aumento dessa escorrência.                                      
Esta situação irá diminuir e desaparecer em semanas a meses e não tem qualquer problema para o bebé.

Quando devo preocupar-me?
Se a mama aparecer entre os 8 e os 13 anos, será normal uma vez que esta é considerada a idade normal de início da puberdade nas meninas.  Cerca de 60% dos casos de telarca precoce ocorrem entre os 6 meses e os 24 meses de idade. Nesse caso, se não existirem mais alterações para além do aparecimento da mama, pode simplesmente esclarecer a situação com o médico de família ou com o pediatra assistente na consulta de vigilância. O aparecimento até aos 2 anos, na grande maioria dos casos, não precisa de exames para investigação.

Se o aparecimento for após os 2 anos, deve procurar o seu médico de família ou pediatra porque nesse caso já será necessário confirmar se está perante uma situação que não tem qualquer problema ou se será necessário investigar.                                     

Caso a telarca surja com algumas das alterações a seguir descritas, deverá procurar o seu médico rapidamente:
-    Aumento do tamanho do clitóris;
-    Aparecimento de pêlo púbico ou axilar;
-    Aparecimento de acne;
-    Aumento súbito de altura (“salto no crescimento”);
-    Hemorragia vaginal;
-    Início recente de dores de cabeça ou alterações da visão;
-    Antecedentes de tumor do cerebral, radioterapia cerebral, meningite, traumatismo crânio encefálico, lesão hipóxico-isquémica, histiocitose ou neurofibromatose.

O início precoce da puberdade pode ter consequências importantes. Pode ter um impacto psicológico negativo, uma vez que provoca alterações corporais para as quais a criança ainda não está preparada e que a poderão fazer sentir-se diferente, ou até excluída por meninas da mesma idade. Por outro lado, as meninas com puberdade precoce são habitualmente mais altas que as meninas da mesma idade, no entanto deixam de crescer mais cedo e vão ficar com uma estatura final mais baixa do que as outras meninas.

Depois de aparecer, a mama nunca mais desaparece? E vai continuar a crescer? E se for só de um lado?
Quando há telarca precoce o desenvolvimento da mama pode ser unilateral ou bilateral.
Em cerca de metade das meninas com telarca precoce a mama vai diminuir de tamanho e desaparecer, aparecendo outra vez quando for a altura certa de iniciar a puberdade. No entanto, cerca de 1/3 mantém a mama, sem aumento ou diminuição do seu tamanho. Mais raros são os casos em que há variação cíclica do tamanho (ora aumenta, ora diminui) e mais raros ainda, casos em que o aumento acontece de forma progressiva.

O que se pode fazer para tratar?
Quando a única alteração é a telarca precoce não é necessário qualquer tratamento. 
No entanto, se existir algum dos sinais de alarme mencionados acima, ou se o médico detetar alguma alteração, deve ser feito o encaminhamento para consulta hospitalar de Endocrinologia Pediátrica para tratamento específico, de acordo com a causa patológica detetada.


Sílvia Mota, interna de Pediatria do Hospital de Braga, em colaboração com a Dra. Maria Miguel Gomes, Pediatra da Unidade de Endocrinologia e Diabetologia Pediátrica, do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga
 

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.