PEDIATRIA

Picada por peixe-aranha: e agora?

Com a aproximação do verão, iniciam-se as idas à praia e, consequentemente, surgem os casos de picada por peixe-aranha, animais muito comuns na costa portuguesa.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

A maioria das picadas são de peixes-aranha de menores dimensões (<14 cm), que se escondem a poucos centímetros de profundidade nas áreas mais próximas da costa e, através dos seus espinhos venenosos localizados no dorso e guelras, perfuram a pele dos pés de quem, inadvertidamente, os pisa. Após a sua picada ocorre, quase imediatamente, dor intensa, erupção cutânea com zona vermelha e, por vezes, hemorragia.

O que fazer?
O controlo da dor, a remoção dos espinhos incorporados na pele e a irrigação das feridas com água do mar são aspetos que fazem parte do tratamento inicial após picada pelo peixe-aranha.
- Manter a calma e pedir ajuda dos familiares/amigos e do nadador-salvador;
- Lavar a zona afetada com água do mar;
- Retirar os espinhos visíveis sem utilizar as mãos;
- Colocar a área envolvida em imersão em água quente, durante cerca de 30 minutos. Idealmente, a temperatura da água deve estar entre os 40ºC-45ºC, para que o veneno se decomponha, mas sem provocar a queimadura cutânea. Se não estiver disponível um termómetro, deve usar-se a temperatura da água mais quente tolerada pela criança
- Pode, ainda, ser utilizada terapêutica oral para alívio da dor com analgésicos ou anti-inflamatórios como paracetamol ou ibuprofeno, respetivamente. Se a dor persistir, a anestesia local (em spray por exemplo) também pode ser necessária, mas nunca deve ser combinada com a imersão em água quente pelo risco de queimadura;
- Se existir uma ferida profunda ou sinais inflamatórios exuberantes (calor, dor e vermelhidão intensos), pode ser necessária observação médica e, eventualmente, terapêutica com antibiótico oral. O que nunca deve fazer? - Urinar sobre a lesão; - Aplicar gelo; - Tocar nos espinhos diretamente com as mãos; - Cobrir a ferida.
É sempre preciso ser observado por um médico?
A maioria das pessoas picadas por peixe-aranha não carece de observação por um médico. Em casos mais raros, ocorre uma reação de hipersensibilidade ao veneno, com inchaço e dor exuberantes pelo que, nessas situações, se deve recorrer ao serviço de urgência mais próximo.

O que nunca deve fazer?
- Urinar sobre a lesão;
- Aplicar gelo;
- Tocar nos espinhos diretamente com as mãos;
- Cobrir a ferida.

É sempre preciso ser observado por um médico?
A maioria das pessoas picadas por peixe-aranha não carece de observação por um médico. Em casos mais raros, ocorre uma reação de hipersensibilidade ao veneno, com inchaço e dor exuberantes pelo que, nessas situações, se deve recorrer ao serviço de urgência mais próximo.

Quais os sintomas que devem motivar observação médica após picada por peixe-aranha?
- Enjoos, vómitos, tonturas ou dores de cabeça;
- Dor intensa e permanente, após tratamento com imersão em água quente e medicação oral;
- Febre persistente após as primeiras 24 horas;
- Hipersudorese (suor excessivo);
- Contratura muscular na zona da picada;
- Incapacidade em remover espinho visível na pele;
- Picada no rosto ou zona genital.

Em que situações se deve chamar o 112?
Deve ser ativada a linha de emergência médica se ocorrerem os seguintes sintomas:
- Dispneia (falta de ar);
- Perda de consciência;
- Convulsões;
- Rash cutâneo intenso fora do local de picada (manchas vermelhas na pele);
- Edema (inchaço) da língua ou laringe;
- Dor no peito.

Como evitar a picada de peixe-aranha?
- Vigiar as crianças;
- Verificar se existem avisos sobre a presença destes animais na praia;
- Utilizar sapatos próprios para andar na água, com solas de plástico;
- Não mexer em animais marinhos.

Sofia Brandão Miranda, com a colaboração de Ângela Oliveira, pediatras do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga

Serviço de Pediatria do Hospital de BragaEste espaço é da responsabilidade da equipa médica do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga, instituição certificada pelo Health Quality Service (HQS).
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.