PEDIATRIA

Intoxicação por medicamentos, como atuar?

A intoxicação por medicamentos em crianças é um grave problema de saúde pública e constitui a mais frequente emergência toxicológica.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

O que é?
A intoxicação por medicamentos ocorre quando um medicamento é usado em dose superior ao recomendado, de modo intencional ou não.
Nas crianças acontece mais na idade dos 0 aos 4 anos. Tal facto deve-se à curiosidade intrínseca das crianças, ao processo natural de crescimento e desenvolvimento infantil, à maior suscetibilidade à ação tóxica de fármacos e à escassez de medidas educacionais sobre o uso racional de medicamentos e a prevenção de acidentes.

Qual é o seu impacto?
A intoxicação por medicamentos em crianças é um grave problema de saúde pública e constitui a mais frequente emergência toxicológica.
Todos os anos morrem cerca de 3000 crianças por intoxicação (medicamentosa ou outra) na União Europeia. Em Portugal, em média, por ano, morre uma criança por intoxicação acidental. Cerca de 95% de todas as intoxicações em crianças ocorrem em casa, sendo a maioria com medicamentos (cerca de 60%). A maior parte das intoxicações com medicamentos em crianças com idade inferior a 1 ano resulta de um engano dos pais ou de outros cuidadores.

O que atrai as crianças?
A cor, o cheiro e o formato de alguns medicamentos, semelhantes a doces e guloseimas, aliada à facilidade da abertura de frascos, à facilidade de acesso e à falta de atenção dos cuidadores, favorecem o cenário propício para a intoxicação.

O que fazer para evitar a intoxicação por medicamentos?
– Guarde os medicamentos fora da vista e alcance das crianças (preferencialmente em armários altos, fechados à chave).
– Não tome medicamentos em frente às crianças.
– Entregue na farmácia medicamentos fora da validade ou que já não precisa.
– Não medique as crianças às escuras.
– Confirme sempre a dose e o medicamento antes de o dar à criança.
– Explique às crianças o risco de tomar medicamentos de que não estão a precisar e o perigo de provar ou mexer em produtos perigosos.

O que fazer no caso de intoxicação?
– Não provocar o vómito.
– Se criança assintomática, dar líquidos para beber como água ou leite.
– Ligar para o 800 250 250 (Centro de Informação Antivenenos – CIAV) e seguir as suas recomendações.

O CIAV funciona ao longo das 24 horas do dia, 7 dias por semana, sendo o serviço assegurado por pessoal médico especializado. Presta todo o tipo de informações referentes a intoxicações agudas ou crónicas, relativas ao diagnóstico, quadro clínico, terapêutica e prognóstico da exposição a tóxicos.

A educação em saúde para a comunidade e grupos de risco é importante para a diminuição deste problema, para o estímulo à prevenção e aumento da segurança doméstica. São igualmente essenciais e urgentes medidas regulatórias para o uso racional de medicamentos.

Adote e partilhe estas medidas simples!

Cristina Rodrigues, com a colaboração de Joana Macedo, Pediatra do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga

Serviço de Pediatria do Hospital de BragaEste espaço é da responsabilidade da equipa médica do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga, instituição certificada pelo Health Quality Service (HQS).
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.