NUTRIÇÃO

Pequenas mudanças, grandes efeitos

Para ter um peso e uma vida mais saudáveis, não são necessários sacrifícios. Sacrifício significa penitência, sofrimento, renúncia... fez mal a alguém?
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
É normal no início do ano fazerem-se projetos com vista a alterar aquilo que achamos estar mal. E a má alimentação está, obviamente, incluída, bem como o excesso de peso a ela associado ou a falta de exercício físico.

Anda-se meses à espera do "réveillon" para mudar de vida... Só que na maioria dos casos, e apesar da boa vontade inicial, essas mudanças não são sustentadas e acabam ao fim de pouco tempo. Porquê? Talvez porque irrealistas, talvez porque demasiado radicais em relação ao que normalmente fazemos e fizemos durante anos e anos.

Por isso, e embora possa não ter efeitos tão rápidos, é preferível fazer pequeninas mudanças nos nossos hábitos diários que permitam manter os efeitos ao longo de muito tempo do que, pelo contrário, introduzir bruscas alterações de efeitos rápidos mas, efetivamente, não praticáveis durante muito tempo...

Para ter um peso e uma vida mais saudáveis, não são necessários sacrifícios. Sacrifício significa penitência, sofrimento, renúncia... fez mal a alguém? Então porquê passar por isso? Digo-lhe eu, por quinze anos de observação clínica mas também por experiência própria, que desfrutar da comida, do prazer de comer mas também da saúde e da "boa" vida são perfeitamente possíveis. Basta seguir pequenas rotinas diárias.

1. Começar o dia obrigatoriamente com o pequeno-almoço, verdadeiro acelerador do metabolismo, constituído por um alimento do grupo do pão (pão ou cereais pouco refinados), outro do grupo de leite (leite, iogurte ou queijo magros) e uma peça de fruta ou um sumo de fruta (com polpa).

2. Se o intervalo entre o pequeno-almoço e o almoço for superior a 3 horas e meia ou se já sente fome próximo da hora do almoço, faça uma refeição ligeira (leite, iogurte, pão ou bolachas sem gordura e com pouco açúcar; fruta...) que irá controlar o seu nível glicémico e fazer com que não tenha tanta fome ao almoço.

3. Inicie o almoço e o jantar com um bom prato de sopa de legumes (de base fina). Se come em restaurantes, em vez das entradas, e enquanto espera pelo prato do dia, poderá inclusivamente, e antes da sopa, começar pela fruta. Se comer legumes ou salada a acompanhar o prato, peça para temperar no seu prato. Pode temperar com limão ou vinagre mas não utilize mais do que uma colher de chá de azeite para o fazer.

4. Evite os fritos, pelo menos durante seis dias na semana. É preferível uma sandes tipo "americana" do que o prato do dia com rissóis ou batatas fritas...

5. Faça um lanche a meio da tarde ou dois, se almoça cedo e janta tarde.

6. Evite refrigerantes e bebidas açucaradas. Se beber vinho faça-o com moderação - dois copos de vinho por dia (de preferência tinto) para os homens e um para as mulheres (desde que não estejam grávidas).

7. Coma, pelo menos duas peças de fruta por dia, mas não exagere porque a fruta em excesso também engorda.

8. Se se deita tarde, faça uma pequena ceia antes de ir para a cama - um copo de leite e três bolachas Maria, um iogurte e uma peça de fruta, por exemplo.

9. Mexa-se o mais que puder durante o dia, andando a pé, descendo e subindo escadas ou fazendo qualquer atividade física, evitando longos períodos sentado. Se tem filhos pequenos, dançar com eles é uma maneira divertida de aproveitarem o pouco tempo que estão juntos e de gastarem energia, ao mesmo tempo que relaxam de um dia cansativo de trabalho.

Parece-lhe difícil? Experimente e diga-nos qualquer coisa...
Paula VelosoNutricionista e autora de Dietas sem DietaDieta sem Castigo e Peso, uma questão de peso.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.