PEDIATRIA

A febre da carraça

Em geral, a doença manifesta-se com febre, dores musculares e de cabeça, náuseas, vómitos e perda de apetite. Tipicamente, uns dias mais tarde, aparecem manchas e pápulas que se disseminam por todo o corpo, incluindo nas palmas das mãos e plantas dos pés.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Esta é a epoca em que as carraças começam a aparecer e com elas o medo das doenças que podem causar. A mais conhecida dessas doenças é a febre da carraça, que se manifesta mais frequentemente entre os meses de abril e setembro, e é provocada por uma bactéria - a rickétsia. Para esta poder chegar ao ser humano precisa primeiro de passar por outro mamífero (normalmente cães e roedores).

Após a picada da carraça, os primeiros sintomas surgem entre de 2 a 14 dias depois (em geral ao fim de uma semana). As crianças com menos de 15 anos são a população mais frequentemente afetada.

Em geral, a doença manifesta-se com febre, dores musculares e de cabeça, náuseas, vómitos e perda de apetite. Alguns dias mais tarde, surgem manchas e pápulas que se disseminam por todo o corpo, incluindo nas palmas das mãos e nas plantas dos pés. No local da picada da carraça, pode surgir também uma mancha negra.

Como prevenir?
Primeiro, se tem cães ou outros animais domésticos, deve sempre inspecioná-los para verificar se têm carraças e também colocar-lhes coleiras de proteção.

As áreas de maior risco são zonas de vegetação de baixa ou média altura, com algum grau de humidade - os 'verdes campos' constituem uma ótima armadilha para si e para os seus animais domésticos. Devem evitar-se essas áreas de risco, mas caso isso não seja possível, deve usar vestuário adequado e protetor, nomeadamente calças e camisolas de manga comprida.

Os melhores repelentes para as carraças são os que contêm dietiltoluamida (descrito na embalagem como DEET). No entanto, deve existir sempre algum cuidado ao usar estes repelentes em crianças. Deve ler sempre as instruções da embalagem e não aplicar na face, mãos ou qualquer local em que a pele esteja irritada ou ferida. Os repelentes devem ser aplicados de 2 em 2 horas e, mal a criança regresse a casa, toda a área em que o repelente foi aplicado deve ser lavada com água e sabão.

No regresso a casa, é também necessário inspecionar bem toda a roupa e corpo, em especial a cabeça e o pescoço, bem como as áreas onde a roupa está mais apertada, como a cintura e as axilas, não só das crianças, mas também dos adultos. Caso encontre uma carraça, esta deve ser imediatamente removida.

Como remover uma carraça?
Usar uma pinça para prender a carraça o mais junto à pele possível e depois puxá-la com força sem fazer movimentos de rotação.

Se optar por retirá-la com os dedos, use um pano e quando terminar lave muito bem as mãos.

Lembre-se sempre que se encontrar uma carraça em si ou no seu filho, deve retirá-la logo que possível e não entrar em pânico. Felizmente, só uma pequeníssima percentagem de carraças estão infetadas, pelo que só deve recorrer ao médico se surgirem queixas ou sinais sugestivos de doença.

Mafalda Paiva
Serviço de Pediatria do Hospital de BragaEste espaço é da responsabilidade da equipa médica do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga, instituição certificada pelo Health Quality Service (HQS).
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.