PEDIATRIA

Candidíase em idade pediátrica

A candidíase na criança, na maioria das vezes, não está associada a qualquer sintoma, contudo em algumas situações pode provocar desconforto, dor e recusa alimentar. Os locais mais vulgarmente afetados por esta infeção fúngica são a boca e a região perineal (genitais externos). A infeção pode ocorrer em simultâneo nos dois locais.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
O que é?
A candidíase é uma infeção por fungos do género Candida. Este fungo encontra-se naturalmente presente em pequenas quantidades na flora gastrointestinal (boca e intestinos) e genitourinária (área genital) do ser humano sem provocar doença. No entanto, em situações de maior fragilidade como a febre, tratamento com antibióticos ou diarreia, este pode multiplicar-se excessivamente e provocar doença. A maioria das infeções é benigna e caracteriza-se por um crescimento localizado do fungo ao nível da pele ou mucosas devido à alteração da flora microbiótica normal.

Onde e como se manifesta?
A candidíase na criança, na maioria das vezes, não está associada a qualquer sintoma, contudo em algumas situações pode provocar desconforto, dor e recusa alimentar. Os locais mais vulgarmente afetados por esta infeção fúngica são a boca e a região perineal (genitais externos). A infeção pode ocorrer em simultâneo nos dois locais.
A candidíase oral manifesta-se por placas esbranquiçadas, aderentes às gengivas, língua e bochechas podendo parecer leite coalhado. Nesta situação, para se conseguir confirmar a presença de infeção pelo fungo, é importante lavar a boca da criança para verificar a aderência das placas esbranquiçadas.
A candidíase perineal manifesta-se por lesões de cor vermelho-vivo com pontilhado esbranquiçado, por vezes, com aspeto húmido na zona dos genitais e ânus, em especial se existe uso de fralda.
Quem pode ter esta infeção?
Os recém-nascidos e crianças no primeiro ano de vida são particularmente vulneráveis pelas suas defesas mais frágeis, uma vez que o sistema imunitário não está ainda completamente desenvolvido, contudo pode também ocorrer noutras idades.

Como devo atuar perante estes sintomas?
Se o seu filho (a) manifestar algum destes sintomas, deverá recorrer ao seu médico assistente, pois poderá necessitar de tratamento. Em caso de candidíase oral, este tratamento pode passar pela administração de um antifúngico oral (gotas de aplicação na boca); se a infeção está localizada na região dos genitais, poderá ser necessária a aplicação de um antifúngico tópico (creme para aplicar no local). Em caso de amamentação e se o fungo se manifestar também no mamilo da mãe, esta deve fazer também o tratamento com um creme antifúngico, não havendo contraindicação para manter a amamentação.

Como posso evitar nova infeção?
Após a instalação da infeção é importante serem tomadas algumas medidas de higiene para evitar a sua propagação:
 - Esterilizar as superfícies em contacto com a boca da criança: tetinas, chupetas e brinquedos;
- Remover os vestígios de leite após cada refeição, podendo utilizar uma gaze esterilizada embebida em soro fisiológico fazendo gestos suaves que permitam limpar a boca do bebé ou simplesmente dar-lhe um pouco de água;
 - Lavar as mãos sempre antes e após cada muda de fralda;
 - Se a criança utilizar dispositivos inalatórios (“bombinhas da asma”), estes deverão igualmente ser desinfetados e questione o seu médico sobre a necessidade de lavar a boca da criança após cada utilização.

Existe o risco de contágio? Devo evitar o infantário?

Esta infeção instala-se por fragilidade momentânea do sistema imunitário da criança não havendo por isso grande risco de contágio, podendo a criança frequentar a escola. No entanto, para crianças mais pequenas se houver risco de partilha de chupeta e outros objetos de contacto, existe sempre alguma possibilidade de transmissão. Neste caso é importante fazer respeitar estritamente os cuidados de higiene acima referidos.


Sara Magalhães, Medicina Geral e Familiar - USF Ponte
Marlene Rodrigues, Serviço de Pediatria - Hospital de Braga
Serviço de Pediatria do Hospital de BragaEste espaço é da responsabilidade da equipa médica do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga, instituição certificada pelo Health Quality Service (HQS).
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.