Vila Real implementa projeto-piloto nas escolas para reforçar aprendizagem

A Câmara de Vila Real vai implementar o projeto-piloto “A Escolar”, que pretende intervir e aprofundar temáticas como o património, saúde, ciência e educação para a cidadania nas salas de aula, após o horário escolar e nas férias.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
O projeto arranca no dia 2 de março e envolve quatro docentes, que estavam desempregados e foram contratados pelo município ao abrigo de um protocolo com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

 “Queremos que sejam atividades educativas e ao mesmo tempo queremos reforçar a aprendizagem dos alunos”, afirmou hoje, em conferência de imprensa, o vereador da Câmara de Vila Real José Maria Magalhães.

“A Escolar” vai intervir em contexto de sala de aula, onde a equipa do município vai trabalhar em articulação com os professores titulares, depois também no período pós-escolar, no âmbito dos serviços de apoio à família, e nas interrupções letivas, como as férias da Páscoa e do verão.

O técnico da autarquia Alexandre Favaios explicou que, com este projeto, vão ser desenvolvidas e aprofundadas, de forma lúdica, quatro temáticas, nomeadamente: património local, a educação para a saúde, ciência na escola e educação para a cidadania e valores.

Nesta primeira fase, “A Escolar” vai atingir, nas salas de aula, 52 turmas e 1105 alunos do pré-escolar e do primeiro ciclo do ensino básico, com idades compreendidas entre os 3 e os 10 anos.

No âmbito dos serviços de apoio à família, que vão decorrer entre as 16:00 e 19:00, a intervenção vai ocorrer em 10 escolas e chegar a 225 alunos também do pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico.

Os meninos estudam nos agrupamentos escolares Diogo Cão e Morgado Mateus. Alexandre Favaios referiu que, para além de serem abordados aspetos teóricos, o projeto vai proporcionar também experiências às crianças, tanto a nível da ciência como de visitas ao património histórico de Vila Real, como a Torre de Quintela ou a Sé, bem como dar a conhecer o património gastronómico como os tradicionais covilhetes, as cristas, pitos ou ganchas. Ao nível da saúde serão abordados temas como a higiene oral ou a educação sexual, num trabalho que será feito em colaboração com as equipas das unidades de saúde familiares do concelho.

Questionado sobre este projeto, que pode ser um primeiro passo para a municipalização do ensino no concelho, o vereador José Maria Magalhães fez questão de afirmar que o município “não possui ainda uma posição definida” sobre esta temática e que “A Escolar” é um exemplo do trabalho de parceria que pode ser desenvolvido entre as instituições.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.