BE preocupado com contratação para as escolas avisa que faltam profissionais

A coordenadora do BE, Catarina Martins manifestou hoje muita preocupação com a condição de contratação para as escolas, avisando que, no arranque do ano letivo, há muita falta de assistentes operacionais e técnicos.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

Numa ação de pré-campanha para as eleições autárquicas de 26 de setembro, Catarina Martins foi questionada pelos jornalistas sobre o início do ano letivo.

“Estamos preocupados. Estamos preocupados com a condição de contratação dos trabalhadores da escola, todos eles. Continuamos a ter professores contratados que andam a saltitar de escola à última hora, que não têm condições para se dedicar ao projeto educativo. Querem ser professores e não lhes é dada essa condição”, criticou.

Na perspetiva da líder do Bloco de Esquerda (BE), há ainda “muita falta de assistentes operacionais nas escolas, de assistentes técnicos”.

“Isso preocupa-nos muito, achamos que devia ter sido preparado com mais tempo. Aliás, apresentámos propostas no parlamento com tempo para que fosse feita a colocação de professores com mais tempo, para que fossem vinculados assistentes operacionais e assistentes técnicos com mais tempo, para que se alterassem os rácios de funcionários nas escolas com tempo e preocupa-nos que isso não tenha sido feito”, condenou.

Os bloquistas, prometeu Catarina Martins, trabalharão “para que o ano letivo possa começar da melhor maneira possível”.

“E, sobretudo, muito gratas e muito gratos aos professores e a todos os trabalhadores da escola que têm feito os impossíveis, numa situação tão difícil, para que nenhuma criança, nenhum jovem fique abandonado, fique para trás”, agradeceu.
 

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.