Escola Secundária Eça de Queirós: da Póvoa, com orgulho nos rankings

Entre as escolas públicas mais bem posicionadas no último ranking conta-se a Escola Secundária Eça de Queirós, na Póvoa de Varzim. Foi com satisfação mas sem surpresa que a direção recebeu a notícia do 41.º lugar. Porque ali “preparam-se os alunos para bons resultados”.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

José Eduardo Lemos de Sousa ri de satisfação quando lhe perguntam há quantos anos dirige a Escola Secundária Eça de Queirós, na Póvoa de Varzim. Soma 27 anos enquanto dirigente, e na última dezena tem orgulho redobrado nos resultados que aparecem no ranking: os alunos obtêm sempre bons resultados nos exames. Este ano, a média fixou-se nos 15,24. Ocupa o 41.º lugar do ranking, seguida de perto por outras escolas do norte do país. José Eduardo Lemos recebeu a notícia com satisfação, mas sem grande surpresa, já que “há dois anos ficámos em 4.º lugar a nível nacional e temos ficado sempre bem classificados”. A receita, segundo o diretor, é simples mas dá trabalho: “despendemos uma parte importante do nosso esforço a preparar os alunos para que obtenham bons resultados nos exames. Porque entendemos que, sendo necessário aos alunos obter bons resultados para escolher os melhores cursos possíveis, quanto melhor resultado obtiverem mais bem posicionados ficam para escolher o percurso seguinte. É essa a ideia. Não é para ficar bem no ranking”, sublinha. De resto, o professor de Geografia considera que é importante vincar essa ideia, ao contrário do que é “o discurso político dos últimos anos, de desvalorização dos exames”, que reputa de “conversa fiada, que só interessa a demagogos, e não aos pais e ao cidadão em si”. Por isso mesmo, na Eça de Queirós não se desvalorizam os rankings, no pressuposto de que “não se podem desvalorizar os resultados que os alunos obtêm em exames”. José Eduardo Lemos faz questão de os valorizar. “Fazemos sempre para que obtenham os melhores resultados possíveis, e louvo sempre o papel da comunicação social ao disponibilizar esses dados. Porque se não fossem os media, ainda hoje seria uma pequena nomenclatura do Ministério da Educação que conheceria dados que deveriam ser do domínio público”.

A Escola Secundária Eça de Queirós tem atualmente 1230 alunos. A direção costuma considerá-la como “uma escola que valoriza a tradição, com uma linha de rumo bem definida, que nunca altera de forma significativa”, afirma ao EDUCARE.PT José Eduardo Lemos, acrescentando que “faz as alterações pontuais, mínimas e necessárias, para melhorar prosseguir os seus objetivos”. De resto, o responsável enfatiza que, ao contrário do que acontece noutras escolas do país, “aqui não seguimos as revoluções que acontecem sempre que muda um Governo”. “Temo-nos mantido fiéis àquilo que é a nossa tradição, sempre atentos ao evoluir da sociedade, preparando os alunos para serem resilientes e conseguirem superar insucessos, mas também que não fiquem ofuscados em demasia com o sucesso; que acreditem no trabalho e no esforço, e lutem para terem sempre os melhores resultados”. É essa determinação que José Eduardo Lemos tenta incutir ao corpo docente, nesta altura composto por 111 professores. Em conjunto, esforçam-se por tentar fazer “o que é melhor para os nossos alunos”, em colaboração com a comunidade. “Abrimos as portas e a população procura-nos”, considera o diretor. Também com a Associação de Pais tem havido um trabalho conjunto, uma boa colaboração. Ainda assim, uma vez que a escola tem a maior parte dos alunos no Ensino Secundário (apenas conta com seis turmas do Ensino Básico), “é raro ver os pais na escola”. O diretor entende que esse não é necessariamente um mau sinal, até porque na Eça de Queirós “prezamos muito a transparência, e os pais são informados de tudo". 

Do velho liceu à atual Secundária

A Escola Secundária Eça de Queirós é uma das mais antigas do país. Nasceu em 1904, e quando chegar a outubro fará 117 anos. O atual edifício é de 1952, mas antes disso foram vários os espaços onde morou, sempre dedicada ao patrono Eça de Queirós, nascido na Póvoa de Varzim. Na resenha história feita pelo padre Manuel Amorim, conta-se como “no imaginário popular continua a ser O Liceu, o mais antigo e conceituado estabelecimento de Ensino Secundário da cidade. A sua génese histórica  radica no Instituto Municipal, fundado em 1882 para dar consistência a uma iniciativa particular que tentou responder às exigências sociais da comunidade povoense prosperada pelo grande aumento do comércio resultante da indústria da pesca e dos banhos do mar”. A 14 de julho de 1904, é criado, por decreto, o referido liceu, que só em 1958, “já  em nova e ampla casa”, em pleno Estado Novo, passa a juntar o ensino liceal com o ensino técnico. “Nasceu assim a Escola Preparatória Eça de Queirós - Secção Feminina que, desde 1968 até à extinção, funcionou no segundo piso da nova ala poente construída em 1959”, pode ler-se na resenha do Monsenhor Amorim, data de 1998. 
 

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.