Ministro elege “saltos" tecnológico, social e educativo” como desafios para a Educação

O ministro da Educação elegeu três grandes desafios estratégicos para o futuro do ensino e da formação na União Europeu, que passam por “saltos” na tecnologia, na sociedade e na educação.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

“Vivemos tempos particularmente complexos, angustiantes e imprevisíveis, a braços com uma pandemia à escala global. Ora, a melhor forma de o fazermos é construirmos hoje, a 27, o nosso futuro comum”, escreve Tiago Brandão Rodrigues num documento publicado na quarta-feira no âmbito da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia.

Esse “futuro comum”, continua o governante, passa pela capacidade de dar um salto tecnológico para a inovação pedagógica, um salto social para o combate às desigualdades e um salto educativo para “acelerar o caminho da igualdade de oportunidades e de sucesso”.

“Estes são os desafios estratégicos que enfrentamos e estes são os passos que vos convidamos, connosco, a dar”, sublinha.

No prefácio da publicação, disponível na página da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência, o ministro português escreve ainda que o objetivo da presidência portuguesa é também reforçar uma dualidade entre a convergência e a pluralidade no Espaço Europeu de Educação.

“Um espaço que assegure direitos e alargue oportunidades a todos os cidadãos que nele habitem, valorizando as singularidades nacionais e aprendendo com o melhor do que é feito em cada país”, explica.

O documento, publicado no âmbito da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, onde o ministro deixou a mensagem, apresenta o sistema de educação e formação, com a referência às políticas em curso e à evolução de alguns indicadores.

Entre os indicadores, são destacadas a taxa de analfabetismo, a percentagem da população com ensino superior e ensino secundário, as taxas de pré-escolarização, de abandono escolar precoce, de retenção e desistência no ensino básico e de conclusão no secundário.

O documento faz também referência à educação e formação de adultos, à educação e competências digitais e a igualdade de oportunidades como princípio constitucional organizado do sistema educativo. Na sexta-feira, o ministro Tiago Brandão Rodrigues preside à videoconferência informal de ministros da Educação da União Europeia (UE), em que vão debater a equidade no acesso, inclusão e sucesso para todos na educação e formação.

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.