Ministros da Educação reúnem-se hoje por vídeoconferência

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, preside hoje ao Conselho informal de ministros da Educação da União Europeia (UE), consagrado ao papel da educação e da formação no modelo social europeu.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

A reunião, que esteve prevista para Braga e que se prolongaria por dois dias, quinta-feira e hoje, foi reduzida a um dia e vai realizar-se por videoconferência, a partir do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, devido ao agravamento da situação epidemiológica na Europa.

Além dos titulares da Educação dos 27 Estados-membros, participam na reunião o ministro do Ensino Superior, Manuel Heitor, os comissários europeus Mariya Gabriel (Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude) e Nicolas Schmit (Emprego e Direitos Sociais) e o conselheiro da Comissão Europeia para os direitos sociais, o ex-ministro do Trabalho José António Vieira da Silva.

O Conselho informal vai debater o contributo da educação e da formação para a aplicação do Pilar dos Direitos Sociais, o “foco” da presidência portuguesa do Conselho da UE, que vai ter como momento alto a Cimeira Social agendada para 07 e 08 de maio, no Porto, onde o Governo espera ver aprovada uma declaração que assuma o emprego, as competências e a proteção social como elementos centrais da recuperação económica da UE.

No final da reunião, realiza-se uma conferência de imprensa conjunta com o ministro da Educação e os dois comissários europeus.

Portugal assumiu a sua quarta presidência do Conselho da UE em 01 de janeiro, a qual se estenderá durante o primeiro semestre de 2021, sucedendo à Alemanha e antecedendo a Eslovénia, sob o lema “Tempo de agir: por uma recuperação justa, verde e digital”.

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.