COVID-19: Campanha de testagem rápida nas escolas inicia-se na quarta-feira

Os testes rápidos de deteção de COVID-19 começam na quarta-feira a ser aplicados nas escolas com ensino secundário dos concelhos em risco de contágio extremamente elevado, anunciou hoje o Governo.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

A campanha vai decorrer em estabelecimentos públicos e privados, através de testes de antigénio (Trag), de acordo com uma nota conjunta dos ministérios da Saúde e da Educação.

“Em caso de identificação de surtos ativos será intensificada a testagem, envolvendo e priorizando toda a comunidade escolar dos estabelecimentos de ensino afetados, independentemente do grau de ensino a que pertença”, precisaram as tutelas.

Com estes testes, pretende-se “aumentar a rapidez da deteção e rastreamento de eventuais casos de SARS-CoV-2”, em alunos, pessoal docente e não docente.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), em colaboração com as respetivas estruturas regionais e com as administrações regionais de saúde, elaboraram um modelo de consentimento informado para os encarregados de educação, juntamente com informação sobre a importância da deteção atempada do vírus.

A pandemia de COVID-19 provocou, pelo menos, 2 041 289 mortes, resultantes de mais de 95,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9246 pessoas dos 566 958 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da DGS.

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.