COVID-19: Madeira terá "período critico" com deslocação de alunos e professors

O presidente do Governo da Madeira considerou hoje que a região vai atravessar “um período crítico” com a ida dos estudantes para as universidades e a deslocação dos professores ao continente, aproveitando o feriado do 05 de outubro.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

“Nós vamos ter agora um período crítico. Não é segredo para ninguém que muitas pessoas, sobretudo neste feriado de outubro, vão necessariamente deslocar-se ao continente para pôr os filhos na universidade e isso vai trazer consequências a nível do reforço das medidas preventivas”, afirmou Miguel Albuquerque à margem da visita que efetuou à escola da freguesia do Porto da Cruz, no concelho de Machico.

O chefe do executivo madeirense foi visitar as obras efetuadas naquele estabelecimento de ensino no norte da ilha da Madeira, no qual foram investidos 200 mil euros em obras de melhoramento.

Além dos alunos, o governante disse que, aproveitando o feriado do 05 de outubro, também “um número elevado de professores” vai deslocar-se ao continente, sendo necessário garantir o regresso em segurança à região.

Por essa razão, “além do primeiro teste que tem de ser feito na entrada da região”, será efetuado “um segundo teste, entre o terceiro e o quinto dia, no sentido de garantir que as escolas e os profissionais da área social continuem a trabalhar dentro das regras essenciais de segurança”, informou.

Miguel Albuquerque vincou que estas duas situações representam “um risco que a região vai correr agora e espera controlar”.

O responsável insular aproveitou a ocasião para agradecer aos professores, funcionários e a toda a comunidade educativa, “porque na generalidade da região a situação relativamente às medidas preventivas e profiláticas da COVID têm corrido bem” no início de mais um ano letivo no arquipélago.

O presidente do governo do arquipélago sublinhou que todos “têm feito um grande esforço no sentido de cumprir aquilo que são as normas essenciais de prevenção, nomeadamente o distanciamento, uso de máscaras, horários desfasados das aulas”.

“Isso tem dado um contributo para a confiança e segurança que necessitamos nesta fase”, em que a “pandemia está a crescer na Europa e no resto do mundo a olhos vistos, sendo necessário de ter muito cuidado agora”, vincou.

O governante ainda indicou que este ano foram construídas duas escolas de raiz, na Ribeira Brava e na ilha do Porto Santo, anunciando que esta última deve estar concluída e deve ser inaugurada em outubro.

Instado a comentar a possibilidade de relaxamento das medidas de segurança implementadas nos lares de terceira idade, Miguel Albuquerque, declarou que o Governo da Madeira “não vai arriscar um milímetro” nestas instituições, onde não foi registado qualquer caso de COVID-19 nos seus utentes.

“Temos sido confrontados pelos familiares, compreendemos, não vamos arriscar um milímetro nos lares”, vincou, apelando à compreensão dos familiares que querem estar junto dos utentes.

Complementando que não é possível “arriscar” a segurança dos idosos, concluiu: “Não vai haver medidas nenhumas de relaxamento” nos lares.

De acordo com os últimos dados revelados na quarta-feira pela autoridade regional de saúde, a Madeira reportava 55 casos ativos, os mesmos que no dia anterior, registando um cumulativo de 205 situações confirmadas e 150 doentes recuperados e sendo a única região do país sem qualquer óbito devido à COVID-19.

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.