Mensagens de Ano Novo para o ministro

Um ano que acaba, um outro que começa, o mesmo ministro. Os votos para 2020 dirigidos a Tiago Brandão Rodrigues, responsável máximo pela pasta da Educação, por quem percebe do assunto.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Tiago Brandão Rodrigues tem mais um mandato pela frente, mais quatro anos como ministro da Educação. Um novo ano começa e a comunidade educativa continua a gerir expetativas, a exigir soluções, a pedir consensos. Pede-se ao ministro disponibilidade para o diálogo, maior cooperação institucional, estratégias adequadas. E que defenda os professores.

“Votos de um 2020 que contribua para o progresso de um caminho conjunto a seguir, com intencionalidade na definição de políticas adequadas aos variados contextos educativos, com estratégias que possibilitem cada vez mais a inclusão de todos os alunos, com tempo que permita a apropriação e acomodação das mudanças em curso, fortalecendo a partilha de ideias, de responsabilidades e a cooperação institucional, na construção de uma Escola Pública com sucessos”.
Filinto Lima, presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP)

“Diria ao senhor ministro para que no novo ano que agora se aproxima continuasse a ouvir as escolas, reforçasse a sua autonomia e confiasse mais nelas. Afinal muitos dos problemas da Educação teriam sido resolvidos se tal tivesse acontecido ao longo dos últimos anos”.
Manuel Pereira, presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE)

“Apelo à disponibilidade para o diálogo e para a busca de consensos com os diferentes atores que intervêm na área da Educação e da formação, de forma a articular pontos de dificuldades e contribuir para as soluções. Neste novo ano que haja disponibilidade do ministro para ouvir propostas e contributos e fazer mais e melhor pela Educação em Portugal, para que os aspetos negativos sejam corrigidos. O futuro da Educação depende da capacidade de atrair novos profissionais, o que significa o desenvolvimento de condições de carreira e de expetativas de carreira”.
João Dias da Silva, secretário-geral da Federação Nacional da Educação (FNE)

“Desejo as maiores felicidades na concretização das melhores condições para a Educação e desenvolvimento de parcerias com a CONFAP para o envolvimento parental na melhoria das aprendizagens das nossas crianças e dos nossos jovens”.
Jorge Ascenção, presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP)

“Desejo ao ministro que acelere a sua curva de aprendizagem em Educação de forma proporcional ao abandono dos lugares-comuns e chavões dos talking points que lhe são servidos para consumo público. Como prenda, dar-lhe-ia a História do ensino em Portugal do professor Rómulo de Carvalho, clássica mas sempre instrutiva”.
Paulo Guinote, professor, autor do blogue “O Meu Quintal”

“Que este novo ano lhe traga a capacidade para ‘defender radicalmente os professores’, como referiu no passado. E se o silêncio e a indiferença se mantiverem, lembre-se apenas de um número, 25... São 25 os docentes e não docentes agredidos em apenas três meses de aulas. De si, nem uma palavra de conforto, quanto mais defender os professores! Que 2020 o transforme num verdadeiro ministro da Educação, já bastou a orfandade que passámos nos últimos anos...”
Alexandre Henriques, professor, autor do blogue “ComRegras”

“O ano de 2020 marca, praticamente, o arranque de funções do novo Governo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues a continuar a dirigir um dos mais relevantes ministérios, num dos mais longos mandatos até hoje alcançado. Acredito, nessa medida, que o mesmo continue a ser alicerçado numa política educativa que reforce medidas promotoras dos valores da igualdade de oportunidades, da coesão social e da inovação educativa, originando um contínuo crescimento da qualidade do sistema educativo português e a sua adequação ao tempo e espaço, contemporâneos.
Espero que 2020 seja um ano de uma profunda consolidação, no terreno, do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular, do desenvolvimento de mecanismos promotores de maior estabilidade profissional para os docentes e demais profissionais de educação, assim como de construção diária de um clima, dentro das escolas portuguesas, de tranquilidade e de profunda cooperação entre todos os seus atores - um clima positivo, promotor da consecução do maior desafio: a promoção do sucesso educativo de todas as crianças, jovens e adultos portugueses.”
César Israel Paulo, professor, porta-voz da Associação Nacional dos Professores Contratados
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.