A árdua tarefa de educar

De forma cada vez mais destacada, a parentalidade, e as várias formas de abordar a educação, tem sido um tema cada vez mais recorrente. Fala-se em parentalidade consciente, fala-se de parentalidade positiva, mas, seja qual for a filosofia adotada parece haver aqui um denominador comum: a única coisa que os pais querem é que os filhos sejam felizes.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
De forma cada vez mais destacada, a parentalidade, e as várias formas de abordar a educação, tem sido um tema cada vez mais recorrente. Fala-se em parentalidade consciente, fala-se de parentalidade positiva, mas, seja qual for a filosofia adotada parece haver aqui um denominador comum: a única coisa que os pais querem é que os filhos sejam felizes.

Magda Gomes Dias lamenta que se fomente comparações entre as diferentes filosofias. “É uma pena que se tente estabelecer alguma rivalidade entre filosofias. A parentalidade positiva, a consciente e a do apego vão trazer coisas importantes às pessoas que se identificam com elas. Os pais pretendem ser melhores pais e querem ensinar aos filhos a ser melhor pessoas no futuro. Cada filosofia vai trazer, em determinados momentos, as coisas que as pessoas procuram. Todas elas são complementares. E mesmo que as pessoas não se identifiquem com determinado modelo, não significa que ele esteja errado” defende a criadora do blog ‘Mum’s The Boss’.

Ligada às áreas comportamentais desde 2002, a sua atividade era basicamente ser formadora em liderança, coaching e gestão de conflitos. A dada altura sentiu que parte do seu grupo não estaria a evoluir como seria suposto. Magda achou por bem alterar para adequar a sua formação de outra forma e continuava a não ter resultados. Este aparente insucesso era inquietante e, em conversa com os formandos, Magda Gomes Dias percebe que o problema está na educação. Aos poucos começa a mudar o seu foco deixando para trás a área dos negócios para se dedicar de forma intensiva a esta descoberta.

Primeiro umas ideias soltas aqui e ali, que mais tarde começam a ser declinadas no blog ‘Mum’s The Boss’, que, entretanto, é criado em 2011, e com o crescente interesse das pessoas pelas questões abordadas, Magda entende que desta vez o salto deve ser qualitativo para, em 2016, abrir a Escola Parentalidade e Educação Positivas. “O meu grande interesse não são as crianças de forma imediata, mas sim os adultos”, defende Magda Gomes Dias. Assente em cinco princípios – respeito mútuo, vínculo, parentalidade pró-ativa, liderança empática e educar sem punir – esta escola tem o seu próprio modelo de parentalidade. A escola partilha uma filosofia que tem por base o respeito mútuo entre pais e filhos, educadores e criança e adulto e criança, sempre por esta ordem. “Apesar de parecer, não é uma hierarquia. O adulto aparece em primeiro lugar, porque é ele que ensina a criança. Respeito mútuo e vínculo são duas coisas criadas pelo adulto. Tem a ver com a qualidade da relação que o adulto cria para ter com a criança. É uma coisa pensada” reforça a responsável pela escola.

“O nosso grande objetivo enquanto escola é podermos dar aos adultos as ferramentas e o olhar necessário para que possam criar a relação que desejam com os seus filhos, com os seus alunos, com as crianças com quem se relacionam. Todos os adultos e crianças merecem ter relações de significado e valor” reitera Magda Gomes Dias. Por via da sua atividade profissional, o blog ‘Mum’s The Boss’ é uma extensão do seu trabalho.

Susana Almeida é mãe de duas crianças, uma com seis e outra com quatro e também tem um blog. ‘Ser Super Mãe é Uma Treta’ é um blog que nasce com a maternidade há cerca de seis anos e que na realidade não passa de desabafos do dia a dia de uma mãe igual a tantas outras. Não tem qualquer orientação específica, mas sabe que não se revê em nenhuma destas filosofias parentais.

“Eu tenho a melhor das intenções como todos os pais. Sempre achei que não queria gritar como a minha mãe e havia uma série de coisas que achava que comigo isso nunca iria acontecer, mas acabou por acontecer” refere Susana Almeida. Para a blogger, “a parentalidade vai-se moldando à nossa personalidade e à dos nossos filhos”. Mas tem bem definido aquilo que considera os princípios básicos de uma boa educação. As regras devem estar sempre presentes e tenta que a harmonia familiar seja uma constante. Não significa que nos dias mais difíceis, quando a convivência é desafiante, que a paciência se esgote mais rapidamente, mas também há situações em que a calma e a ponderação acabam por tomar conta da situação até porque “nós somos diferentes todos os dias”, remata Susana Almeida.

“Educar é aquilo que eu vejo nos meus filhos. Os valores que eles têm sendo tão pequenos, a preocupação que têm com os outros, o respeitar e serem respeitados, crianças preocupadas com a família, com os amigos e o meio ambiente. As mensagens que lhes passamos de honestidade e de sermos trabalhadores e responsáveis. São pequenas coisas que se vão incutindo e que ajudam a formar adultos de amanhã” acrescenta a blogger.

‘A Melhor Amiga da Barbie’, blog da responsabilidade de Ana Gomes, vive a maternidade há relativamente pouco tempo. Com apenas dois anos e meio, Ana trabalha a relação com a filha tendo por base valores como a autoestima e o reforço positivo evitando discursos negativos. Também lhe dá a liberdade de explorar novas sensações e estimula a criatividade. Nesta fase, considera que aquilo que a tira do sério são as birras. Na maior parte das vezes são situações controláveis e caso não esteja a incomodar terceiros, Ana opta por desvalorizar as situações. Mas nem sempre corre como o esperado e por vezes é necessário ceder para acalmar a situação.

Criado em 2008, o blog de Sónia Santos ‘Cocó na Fralda’ começou pelo puro prazer de partilhar com os outros as peripécias dos então dois filhos que tinha na altura. Se pensarmos na maternidade pré-filhos, Sónia não queria ser como a sua mãe por considerar que tinha uma educação muito dura. Apesar de reconhecer hoje que essa rigidez trouxe alguns benefícios, uma coisa é certa: o sim era seguramente a palavra que Sónia queria ver primeiro na educação dos seus filhos. “Gosto de liberdade com responsabilidade. Eu confio até ao ponto de me mostrarem que não vale a pena confiar”, afirma Sónia Santos.

Se ao primogénito tudo foi exigido, Sónia reconhece que, com os nascimentos dos restantes três filhos, essa obsessão foi-se esbatendo até chegarmos ao mais novo que goza de um estatuto diferente por falta de paciência, tornando-a muito mais permissiva. Sónia Santos não se consegue rever em nenhuma filosofia parental. “Sou demasiado espontânea para conseguir, no momento de crise, controlar-me. Crise é crise e não tenho essa capacidade de contenção e sou demasiado transparente”. E continua “é preciso que eles percebam que há uma hierarquia e ter fronteiras”. A criadora do blog ‘Cocó na Fralda’ tenta retirar dessas filosofias aquilo que consegue adaptar à sua vida e preza o tempo de qualidade que tem com os filhos. E isso não tem preço.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.