“Parlamento dos Jovens” debate violência doméstica e no namoro com adesão recorde

O Programa “Parlamento dos Jovens 2019/2020" terá como tema principal a violência doméstica e no namoro, que será discutido por um conjunto de alunos de 1.009 escolas, a maior adesão de sempre.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
No ano em que se celebram os 25 anos da iniciativa, o programa “Parlamento dos Jovens” vai contar com uma “adesão histórica”, segundo um comunicado enviado à imprensa.

Em 2018, a iniciativa da Assembleia da República contou com 986 participantes, sendo que o número de inscritos tem vindo a aumentar todos os anos, disse fonte ligada à iniciativa.

O programa vai contar com “516 escolas do ensino básico e 493 do ensino secundário, do continente, das regiões autónomas, dos círculos da Europa(Reino Unido e Suíça) e de Fora da Europa (Macau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste)”.

O debate deste ano vai centrar-se na violência doméstica e no namoro e as primeiras iniciativas serão dinamizadas pelas escolas até 29 de janeiro de 2020.

Nestes primeiros debates as escolas contarão com a presença e participação de deputados da Assembleia da República, especialistas e entidades locais. Os jovens terão também a oportunidade de elaborar um “projeto de recomendação sobre o tema” e eleger “os seus representantes para as sessões distritais/regionais, que ocorrem durante o mês de março de 2020”, segundo o comunicado.

A Assembleia da República receberá os alunos em maio de 2020, nas sessões nacionais, em que serão apresentadas as recomendações a ser discutidas na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência, Juventude e Desporto.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.