Aplicações premiadas em concurso nacional de escolas

Aplicações para encontrar empresas que limpam terrenos e para ajudar os daltónicos e o resto do mundo a entenderem-se melhor são projetos de alunos do básico e secundário que foram premiados entre 22 finalistas apresentados na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
O concurso Apps for Good (Aplicações para o bem) é promovido pela organização internacional Center for Digital Inclusion e distinguiu a aplicação "Colour You", criada por cinco alunos do secundário do Instituto dos Pupilos do Exército.

A aplicação inclui testes diagnóstico para os níveis de daltonismo, um guia das cores mais problemáticas para os daltónicos e um identificador de cores através da câmara do telemóvel.

O vencedor no escalão ensino básico foi o "Must be green", criado por estudantes da Básica e Secundária do Levante da Maia, que tiveram a ideia de fazer uma aplicação de telemóvel para encontrar empresas que limpam terrenos florestais e agrícolas através do código postal e do distrito, conversar com os responsáveis das empresas e pedir orçamentos.

O segundo prémio do secundário foi atribuído ao projeto Coursly, do Agrupamento de Escolas Padrão da Régua, que se destina aos alunos que estão a escolher cursos superiores para seguir, com simuladores de médias e testes vocacionais.

Na categoria do ensino básico, o segundo prémio foi para o projeto Rescue Pet, um guia para quem se deparar com animais abandonados, criado por alunos do Agrupamento de Escolas de Sabóia.

Quanto ao terceiro prémio para o secundário, foi para POLUMAP, de alunos da Secundária Delfim Leite, que criaram uma aplicação para telemóvel para construir um roteiro em tempo real de fontes de poluição.

O terceiro prémio do básico foi atribuído a SOS Adolescência, dos alunos do Externato da Apresentação de Maria, que criaram um projeto que oferece dicas e soluções para ajudar os adolescentes a lidar com os problemas como o bullying ou outras questões específicas da sua idade, um projeto que ganhou também o prémio do público.

Os vencedores foram escolhidos de entre 22 finalistas apurados através de quatro encontros regionais realizados ao longo do ano.

Durante o período de aulas, professores de todas as disciplinas e os seus alunos podem aceder a ferramentas para criação de aplicações, com especialistas disponíveis que se ligam à sala de aulas através da Internet para esclarecer dúvidas.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.