“Estou Aqui!” no pulso dos mais novos

Programa inovador destina-se a crianças dos dois aos 10 anos. No caso de os mais pequenos se perderem, chega-se rapidamente ao contacto com os pais, educadores, tutores. Funciona em todos os países da União Europeia que tenham o 112 como número de emergência.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
As pulseiras são resistentes, o tecido está preparado para aguentar 12 meses sem perder qualidade, a confeção seguiu elevados padrões de qualidade. Zamak é a matéria-prima, uma espécie de liga metálica, e o acabamento é feito de cobre e banho de níquel com gravação em baixo relevo. As pulseiras “Estou Aqui!” são para crianças dos dois aos 10 anos (abre-se uma exceção a crianças com menos de dois anos se comprovadamente forem capazes de andar sozinhas). Uma pulseira preciosa em tempo de férias e não só. Durante todo o ano.

São pessoais, intransmissíveis e gratuitas. Têm um código alfanumérico que permite, em caso da criança se perder, contactar com os pais, educadores, tutores. O processo é simples, tem apenas três passos. Primeiro, preencher o formulário online disponível no site https://estouaqui.mai.gov.pt com os dados para o registo. Segundo, levantar a pulseira na esquadra da PSP (Polícia de Segurança Pública) previamente escolhida. Não é preciso levar a criança, mas convém levar um elemento identificativo do menor. Terceiro, colocar a pulseira no pulso da criança. O programa não é acionado em caso de dados incorretos ou incompletos, da responsabilidade do requerente. As informações têm de ser corrigidas.

Depois do pedido, as pulseiras ficam disponíveis em poucos dias, entre três a cinco. O registo pode ser feito em nome individual ou em grupo por parte de várias instituições, escolas, infantários, ATL, campos de férias, organizações não-governamentais, entre outras. A privacidade é assegurada a 100%. Os dados são geridos única e exclusivamente pela PSP e o tratamento da informação garante plenamente os direitos de todos quanto à proteção dos dados pessoais.

O programa é inovador e permite resolver, de forma prática e rápida, casos em que as crianças se perdem momentaneamente dos adultos. A pulseira funciona em todos os países da União Europeia que tenham como número de emergência o 112. A penúltima edição, abrangeu mais de 83 400 crianças, na última foram mais de 68 mil.  

No caso de encontrar uma criança perdida, o primeiro passo é tentar ver se os pais estão por perto. Se isso não acontecer, liga-se para o 112, indica-se o número da pulseira da criança para que se estabeleça o contacto em poucos minutos. As pulseiras não funcionam com GPS. A tecnologia ainda não é adequada a este tipo de utilização. Se assim fosse, não poderia ser gratuita devido aos custos associados.
A PSP explica a missão deste programa. “O Programa ‘Estou Aqui!’  foi desenhado para que nunca perca um momento da presença dos seus filhos”.

O risco aumenta quando as rotinas mudam, quando há mudança de locais, quando há viagens pelo meio, em espaços com muitas pessoas como praias, centros comerciais, eventos culturais, entre outros. A pulseira pode ficar um ano no pulso dos mais novos sem problemas.

As pulseiras não transitam de ano para ano, são apenas válidas no ano do programa em curso, que habitualmente começa em junho de um ano e termina em maio do ano seguinte. A informação recolhida no âmbito deste programa circula em condições de máxima segurança, garantida pela secretaria-geral do Ministério da Administração Interna.

Informações:
https://estouaqui.mai.gov.pt
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.