A época de testes exige foco e concentração

Sucesso escolar combina com motivação, organização, e um método de estudo eficaz. Apontamentos e cadernos em dia, secretária arrumada, datas e prazos para cumprir. É muita coisa para meter na cabeça.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
O primeiro período escolar aproxima-se do fim e esta é a época de testes em todos os anos e níveis de ensino. Ninguém escapa. Alunos e professores andam numa roda-viva, a primeira avaliação do ano letivo está em curso, as notas serão conhecidas antes do Natal. Estudar, estudar, estudar. Memorizar as datas dos testes, não deixar passar prazos de entrega de trabalhos, ter o horário bem decorado. Há ainda os trabalhos de casa, as atividades extracurriculares depois das aulas, e as horas dedicadas ao estudo.

É tempo de intenso trabalho. Voltar a ler os conteúdos dos livros e cadernos, fazer resumos e esquemas para facilitar a compreensão da matéria. Sublinhar o que é mais relevante saber. Praticar, fazer exercícios para verificar se está tudo claro, pensar em voz alta para consolidar conhecimentos e consultar o que ainda não está bem seguro. Anotar objetivos e eliminá-los à medida que forem sendo cumpridos. Há muitas técnicas para estudar. Pode ser de manhã, à tarde, ou à noite, conforme seja melhor para assimilar o que se vai aprendendo na escola. E não basta organizar apontamentos, fazer resumos, memorizar. O estudo contínuo é muito importante, estudar na véspera não costuma dar bons resultados.

Aprender é compreender o que é transmitido. O que se lê, o que se escuta, o que o professor fala nas aulas. Debitar matéria sem a perceber não é aprender. Entender para que é que os conhecimentos servem, onde se aplicam, como transpô-los para a realidade, devem ser práticas habituais nos métodos de estudo. As aprendizagens devem ser para a vida. “De uma forma geral, os alunos para terem sucesso escolar precisam de três coisas: estarem motivados, terem uma boa organização e um método de estudo eficaz”, sublinha Jorge Rio Cardoso, professor universitário e autor de vários livros sobre educação.

Há, no entanto, obstáculos ao estudo. A falta de concentração e a desorganização são as maiores dificuldades. “Para uma boa organização, o aluno deverá ter uma agenda, um quadro na parede onde anotar as suas responsabilidades, os prazos, entre outros aspetos. Esta agenda poderá servir para o uso de uma técnica de estudo fundamental: a programação do estudo. Esta consiste em enumerar o que tem para fazer - passar apontamentos a limpo ou resolver exercícios - e quando o vai fazer”, adianta o professor.

Cada aluno tem o seu método e o importante é que resulte. “Nos meus estudos defendo um método que se divide em quatro partes: planeamento do estudo, organização dos apontamentos, compreensão/memorização e aprofundamento dos temas. Para cada uma destas partes, haverá diferentes técnicas de estudo”, refere Jorge Rio Cardoso. “Não se estuda da mesma forma no Ensino Básico e no Ensino Secundário”, acrescenta.

Ter os cadernos em dia, os apontamentos organizados, a mochila arrumada, a secretária do quarto pronta para o estudo, uma agenda onde juntar toda a informação não são pormenores sem importância. Neste momento, através da Escola Virtual, plataforma de apoio ao estudo, é possível ter uma agenda no telemóvel. É uma app gratuita. Chama-se EV Agenda e tem notificações que avisam das datas dos testes e de entrega de trabalhos. Tem calendários, horários, contactos, registo de notas, permite associar as disciplinas às formas de avaliação, bem como registar a assiduidade, anexar documentos justificativos de faltas, partilhar notas com amigos e família. Estudar exige, portanto, planeamento.

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.