A vida de Gulbenkian pode dar um filme, um livro, uma música, uma obra de arte

“Quem é Calouste?” é a pergunta-concurso lançado pela Fundação Gulbenkian. Jovens dos 15 aos 25 anos podem apresentar trabalhos, individuais ou de grupo, em quatro áreas artísticas. Há 24 prémios para entregar e as candidaturas estão abertas até 24 de fevereiro.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
“Quem é Calouste?” é o nome do concurso-desafio da Fundação Gulbenkian que se insere nas comemorações dos 150 anos do nascimento de Calouste Sarkis Gulbenkian. E há tanto para contar sobre este homem de negócios, colecionador de arte e filantropo de origem arménia, que nasceu em 1869 no Império Otomano e morreu em 1955 em Lisboa - cidade onde quis que fosse construída uma fundação internacional com o seu nome, em benefício de toda a humanidade, como deixou expresso no seu testamento. Calouste Gulbenkian, conhecido como um “arquiteto de empreendimentos”, está agora no centro das atenções de um concurso lançado pela fundação que morava na sua cabeça.

O desafio proposto passa pela arte nas suas mais variadas manifestações. É possível compor uma música, criar uma obra de arte, escrever um texto, ou fazer um filme que responda à pergunta que dá o título ao concurso que se dirige a jovens com idades compreendidas entre os 15 e os 25 anos. Os participantes que tenham entre 15 e 18 anos têm de estar inscritos no Ensino Secundário – e os menores de 18 anos precisam da autorização expressa do encarregado de educação. Há quatro categorias a concurso: música, artes visuais, texto, filme. Os trabalhos podem ser feitos individualmente ou em grupo e as candidaturas estão abertas até 24 de fevereiro via online. A Gulbenkian tem 24 prémios para distribuir pelos melhores trabalhos.

A vida de Calouste Gulbenkian pode dar um livro, um filme, uma música, uma obra de arte. Tudo isso. Na categoria dedicada às artes visuais, os participantes podem dar asas à criatividade e apresentar trabalhos de desenho, pintura, escultura, instalação, fotografia, arte urbana, entre outras. Para submissão no concurso, o trabalho tem de ser fotografado. No filme, todo e qualquer tipo de expressão em formato de vídeo é aceite. Os trabalhos têm de ter uma duração máxima de 10 minutos. Na música, também todos os géneros e estilos musicais são válidos. Os trabalhos só podem ter cinco minutos, no máximo. Quanto ao texto, são igualmente aceites todos os géneros e tipos de texto, ensaio, poema, crónica, artigo, entre outros. E não existe limite de palavras.

A originalidade e a criatividade são dois dos critérios em análise pelo júri do concurso. Mas há mais fatores a ter em consideração. A relação com o tema proposto, os materiais utilizados, a experimentação, a sustentabilidade, a memória descritiva com as respostas às perguntas colocadas no formulário, são fatores que também contam para a nota final. O júri será composto por colaboradores da Fundação Calouste Gulbenkian com experiência em concursos, mas, em alguns casos, podem ser convidadas personalidades de reconhecido mérito nas áreas em avaliação.

Os trabalhos são divididos em dois grupos, ou seja, o grupo “Escolas” para os participantes dos 15 aos 18 anos, e o grupo “Jovem” para os que têm entre 19 e 25. No primeiro grupo, o vencedor em cada uma das categorias recebe 750 euros mais 5 000 euros para a escola que frequenta, quem ficar em segundo lugar ganha 500 euros mais 4 000 euros para a sua escola, e o terceiro classificado fica com 300 euros e a escola com 3 000 euros.

No segundo grupo, o “Jovem”, o vencedor ganha 1 000 euros mais um voucher de 250 euros para aquisição de livros na loja da Fundação Calouste Gulbenkian. O segundo classificado ganha 750 euros mais um voucher de 250 euros também para livros a comprar na loja da Fundação. O terceiro classificado recebe 500 euros, mais um voucher do mesmo valor atribuído aos restantes premiados e com o mesmo propósito.

Os prazos já estão definidos. Os finalistas de cada categoria serão contactados, via telefone ou por email, até 15 de março. Os vencedores são conhecidos durante um evento que terá lugar na Fundação Calouste Gulbenkian a 23 de março.

Informações:
gulbenkian.pt/quemecalouste
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.