Jornalistas e académicos formam professores sobre literacia dos 'media'

Jornalistas e académicos portugueses vão dar formação a professores sobre literacia dos 'media' para conseguir que tenham e passem aos alunos espírito crítico sobre notícias, distinguindo o que é falso do que é verdadeiro.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
O projeto piloto de formação, que resulta de um protocolo entre o Sindicato dos Jornalistas e o Ministério da Educação que será assinado no sábado na Escola do Cerco, no Porto, vai envolver um grupo de 10 jornalistas e académicos.

Também a partir de sábado, cerca de 100 professores de 40 agrupamentos estarão a receber formação e passarão o que aprenderem a milhares de alunos com atividades de literacia dos 'media' nas aulas.

As sessões de formação decorrerão em Faro, Évora, Lisboa, Águeda e Porto, com professores do 3.º ciclo do Ensino Básico e do Secundário que já estão ligados à área dos media nas escolas.
Serão cinco sessões de quatro horas cada uma, que até 13 de abril decorrem na Escola do Cerco, na Secundária Adolfo Portela (Águeda), no agrupamento Eça de Queiroz (Lisboa), no agrupamento número 02 de Évora e no Agrupamento Tomás Cabreira (Faro).

A longo prazo, pretende-se que pelo menos dois professores que lecionam Cidadania em cada um dos 811 agrupamentos de escolas em Portugal tenham tido esta formação.

A ideia é também aumentar o número de jornalistas e outros formadores envolvidos no projeto e alargar a formação a outras classes profissionais.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.