“Todas as crianças têm potencialidades”

Bagos d’Ouro é uma IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social), de iniciativa exclusivamente privada, que acredita na igualdade de oportunidades. Está em seis concelhos do Douro a dar apoio escolar e familiar de forma regular e contínua, e a desenhar programas adaptados aos contextos. Tudo porque a Educação, sublinha, é a “arma mais poderosa para mudar o Mundo”.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
“A Bagos d’Ouro começou com um sonho. Sonho de uma sociedade mais justa, de um Douro mais equilibrado, mais equitativo e, sobretudo, mais inclusivo. Onde todas as crianças tivessem igualdade de oportunidades. Onde as novas gerações tivessem um papel ativo na inversão do ciclo de pobreza e exclusão social através da Educação, a ‘arma mais poderosa para mudar o Mundo”. A apresentação da Instituição Particular de Solidariedade Social, de iniciativa exclusivamente privada, que surgiu em 2010 para promover a educação de crianças e jovens carenciados do Douro, como forma de inclusão social no território, mostra a sua postura. Tem vários projetos, desenvolve uma estratégia de proximidade, um trabalho personalizado junto dos mais novos para acompanhar o seu percurso educativo, social, e familiar, até à entrada no mercado de trabalho. Há aqui um compromisso de longo prazo. Um acompanhamento contínuo, sustentado, persistente. Atento e cuidado. 

A sua área de intervenção abrange seis concelhos do Douro - Alijó, Armamar, Murça, Sabrosa, São João da Pesqueira e Tabuaço – e, neste momento, acompanha 80 famílias, 145 crianças e jovens. E todos têm as suas responsabilidades neste apoio escolar e familiar sistemático. Há planos definidos, objetivos traçados, e caminhos para os alcançar. A Educação é um pilar fundamental para a Bagos d’Ouro, uma forma de reverter o ciclo de pobreza e de exclusão social. Nesse sentido, trabalha em parceria com várias instituições e empresas, tem uma metodologia de intervenção dentro e fora das quatro paredes, e envolve todos os intervenientes: crianças, jovens, famílias, escolas, comunidade. Um trabalho direto com pais, professores, voluntários e parceiros sociais locais. Os agentes imprescindíveis em todo este processo.

O trabalho é vasto e inclui várias vertentes. Vocações, competências pessoais e sociais, hábitos de leitura, empreendedorismo, empregabilidade. Promover o sucesso educativo das crianças e jovens sinalizados é um dos objetivos da instituição. Há outros como prestar apoio social às famílias, assegurar condições de vida dignas, desenvolver competências a vários níveis, orientar e promover a inserção na vida ativa, prioritariamente no território do Douro.

No terreno, pelas escolas dos seis concelhos do Douro e pelas casas das famílias referenciadas, andam cinco psicólogos atentos. “Todas as crianças têm potencialidades”, sublinha Mafalda Ferrão, responsável pela coordenação social da Bagos d’Ouro. O trabalho é bastante focado neste princípio. Numa região pobre e carenciada, com famílias com baixa escolaridade e níveis de desemprego elevados, a instituição apoia crianças e jovens, desde o 1.º ciclo do Ensino Básico à entrada na vida ativa, que não têm oportunidades educativas, que vivem num agregado familiar que não consegue ou não tem ferramentas para os estimular, que não são espicaçados para irem mais longe. Um dos objetivos é precisamente reverter esse ciclo de pobreza da região, ajudar os alunos nos seus percursos escolares, nas escolhas vocacionais. Segui-los no dia-a-dia, em muitos dias, em vários anos. 

Mafalda Ferrão fala numa plataforma que olha em várias direções e que abre portas as experiências e oportunidades. Que ajuda nos momentos de maiores dificuldades, que valoriza conquistas e êxitos. “Trabalhamos muito a questão do estudo de uma forma muito preventiva e de autorregulação”, explica. Trabalha-se a autonomia no estudo para comprovar capacidades. Uma plataforma que também realça potencialidades e o mérito. A coordenadora social fala também de sonhos e expetativas das crianças e jovens, perspetivas que quase não existiam no começo do trabalho da instituição. “No início, percebemos que havia muita falta de sonhos”, recorda. Hoje já não é assim, foi feito um caminho, e os sonhos e as expetativas alimentam a dedicação, o esforço, a concentração, o envolvimento na escola.

O trabalho não pára, os sonhos também não, e há novos projetos na forja. Um deles é criar um espaço, num dos seis concelhos, onde as crianças e jovens Bagos d’Ouro possam ir durante o dia, depois das aulas, lanchar, estudar, fazer os trabalhos da escola antes de irem para casa, ocupar os tempos livres. É um sonho para concretizar em 2020.

Compromissos, mentores, livros
O processo de sinalização da Bagos d’Ouro é feito em rede, a partir de vários olhares dos parceiros locais que conhecem a realidade que têm à sua volta. E assim identificam-se crianças e jovens com falta de oportunidades educativas do 1.º e 2.º ciclos de ensino, bem como jovens do 3.º Ciclo e do Ensino Secundário com resultados escolares de nível elevado, Bom e Muito Bom. Crianças e jovens de famílias com carência económica comprovada, do Escalão A. Depois disso, é assinado o compromisso Bagos d’Ouro para envolver e responsabilizar crianças e pais na definição de objetivos e trabalho a fazer.

Há vários programas no terreno. O Programa Educar para o Futuro, para o 1.º e 2.º ciclos, que monitoriza a situação escolar, a motivação, o desempenho, o rendimento escolar, a assiduidade. Trabalha estratégias de organização e métodos de estudo, envolve os pais no acompanhamento educativo dos seus filhos, cria experiências educativas, assegura o material escolar necessário, desenvolve competências empreendedoras. O Programa Integrar no Território destina-se ao 3.º ciclo, ensino secundário e ensino superior, e também acompanha o desempenho e o rendimento escolar, já orienta a escolha vocacional, promove experiências educativas e profissionais, nomeadamente estágios de verão ou trabalho de voluntariado. Assegura os recursos materiais e financeiros para continuar os estudos e acompanha e monitoriza a inserção na vida ativa.

A Bagos d’Ouro não esquece os pormenores como a remodelação do espaço de estudo com boas condições de luz e conforto. Trata ainda da integração dos alunos em atividades de tempos livres e campos de férias, dá apoio com explicações individuais, ajuda no regresso às aulas com manuais e material escolar, e está atenta a bolsas escolares, universitárias, e de estágio.

O  Programa de Apoio Social à Família existe para promover práticas parentais mais adequadas na valorização da escola e do trabalho e assegurar recursos necessários na alimentação, habitação, saúde, vestuário. 

O Projeto Sítio dos Livros, para o 1.º e 2.º ciclos, desenvolvido em parceria com a Roof, permite o acesso gratuito a livros através de uma plataforma solidária  para pesquisa e requisição. São mais de 600 livros doados pelos trabalhadores da empresa. O Projeto Mentor, para os mesmos níveis de ensino, desenvolvido em parceria com a consultora Jason Associates, identifica um mentor para cada criança. A par da Bagos d'Ouro, cada mentor ajuda a criança e a sua família a desenvolver competências no âmbito das rotinas diárias, valorização pessoal, comportamento, expressão verbal, acompanhamento escolar entre outras. É um projeto-piloto.

E há ainda o Projeto Take Action | Realiza-te no Douro para o 3.º Ciclo, Ensino Secundário e Ensino Superior que pretende trabalhar a escolha vocacional dos jovens, através de iniciativas que promovam o conhecimento das profissões. A instituição pretende alargar este projeto a alunos mais novos. Neste momento, promove ações que permitam construir o imaginário profissional, bem como promover competências pessoais, de empregabilidade e empreendedorismo que facilitem a entrada no mercado de trabalho ou a criação do próprio emprego.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.