Federação sindical insiste em reunião urgente com ministro da Educação

A FENPROF entregou na sexta-feira, em Coimbra, um "lembrete" ao ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, a relembrar a necessidade de realização de uma reunião urgente para debater os problemas do setor. 
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A estrutura sindical queixou-se de ter solicitado há um mês e meio uma reunião que até à data não teve resposta, considerando que é "um inaceitável desrespeito pela maior e mais representativa organização de professores em Portugal".  

Cerca de duas dezenas de professores aguardaram esta tarde a chegada do governante à Escola EB 2,3 Silva Gaio, em Coimbra, empunhando cartazes e uma faixa, em que se lia "Basta de desvalorização! Professores exigem respeito".

O ministro da Educação, que se deslocou a Coimbra no âmbito da organização dos Jogos Europeus Universitários, salientou que, durante este ano, já foram efetuadas 12 reuniões entre o ministério e a Fenprof, destacando que tem existido um trabalho de "diálogo e articulação".

"A A Federação Nacional dos Professores (FENPROF) e as outras organizações sindicais sempre que é oportuno reúnem com o ministro, aliás como reunimos tantas e tantas vezes", disse Tiago Brandão Rodrigues aos jornalistas no final da visita a várias infraestruturas desportivas em obra para acolher os Jogos Europeus Universitários, que se realizam de 15 a 28 de julho.

O governante referiu ainda que o ministério está a trabalhar para que próximo ano letivo comece a tempo, "com tranquilidade e serenidade e normalidade", como nos últimos dois anos.

"O ponto de partida [sobre os problemas da Educação] nem sempre é o mesmo, mas temos trabalhado e dado passos firmes para que o ponto de chegada seja o mais coincidente possível", frisou o ministro da Educação.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.