NUTRIÇÃO

Férias despreocupadas, e agora?

Não concordo com uma excessiva preocupação com o que se come tanto no período de férias como, já o tenho dito, aos fins de semana. A comida e toda a socialização que dela decorre dão cor à vida, já demasiado cinzenta na maior parte dos casos. É um prazer, mas que também não pode tornar-se o único sob pena de comprometer todos os outros. Se só se vive para comer, as consequências manifestam-se mais cedo ou mais tarde.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Mais umas férias e para muitas pessoas também mais uns quilitos. Férias e dieta são incompatíveis porque a alimentação tem vínculos sociais e culturais de que não nos podemos esquecer. Que sentido faz conhecer outros povos, outras culturas ou outras regiões do nosso país, se não experimentarmos a sua gastronomia?

Sabendo isto, não concordo com uma excessiva preocupação com o que se come tanto no período de férias como, já o tenho dito, aos fins de semana. A comida e toda a socialização que dela decorre dão cor à vida, já demasiado cinzenta na maior parte dos casos. É um prazer, mas que também não pode tornar-se o único sob pena de comprometer todos os outros. Se só se vive para comer, as consequências manifestam-se mais cedo ou mais tarde. Peso em excesso, deprime-nos. Peso em excesso pode provocar dores nas pernas, nos pés, ancas ou joelhos. Peso em excesso dá-nos cansaço e dificuldades respiratórias. Peso em excesso tira-nos qualidade de vida. Peso em excesso pode condenar-nos ao isolamento.

Por tudo isto, e porque é normal nesta altura começarem de novo as preocupações com a saúde, já que as preocupações com a linha são apanágio da primavera, trago hoje aqui pequenas sugestões para pequenas mudanças no seu dia a dia que farão toda a diferença nos próximos meses e, espero, nos próximos anos.

A primeira delas é determinar-se em começar hoje mesmo a mudar os seus hábitos. É uma tradição começar as “dietas” à segunda-feira ou depois do Natal. Como mudar hábitos significa comer bem, em quantidade, qualidade e sabor, porquê adiar?

- O pequeno-almoço é OBRIGATÓRIO! Permite carregar baterias, melhorando a produtividade e o humor enquanto acelera o metabolismo;
- Três a três horas e meia depois faça uma refeição ligeira; iogurte ou leite + pão integral ou de mistura ou 1 peça de fruta que deverá repetir-se o mesmo tempo após o almoço,
- Se o jantar for tarde, ou se gosta de comer ao fim da tarde quando chega a casa, faça outro lanche pequeno mas com os pezinhos debaixo da mesa,  que é o mesmo que dizer não faça outras coisas enquanto come, para “sentir” que comeu;
- O almoço e o jantar devem começar com um bom prato de sopa, cuja base poderá ter um pouco de farináceos (batata, grão, feijão, grão, etc.) e ser de consistência fina, deixando para a hortaliça a generosidade nas quantidades.
- Se beber às refeições, beba água em pequenas quantidades ou 1 copo de vinho (125 ml), de preferência tinto.
- A água, sem gás e aromas, deverá ser consumida ao longo do dia. Pode também optar por água lisa ou das pedras aromatizada com lima e hortelã. Só esta, uma vez que as novas águas existentes no mercado contêm algumas calorias, não devendo ser ingeridas em grande quantidade nem com frequência.
- Se se deita tarde, faça também uma pequena ceia.
- Não se esqueça de fazer pelo menos 30 minutos de atividade física, três a quatro vezes por semana. Não se esqueça também de que exercício físico pode ser andar a pé, subir e descer as escadas de sua casa ou voltar a usar aquela bicicleta ou tapete que tem lá em casa e que tanto serviu quando os comprou... A música dá uma grande ajuda, e se tem filhos inclua-os na dança, e assim estará a juntar o útil ao agradável.

Para terminar, reforço apenas esta ideia. Não interessa a que horas toma o pequeno-almoço ou a que horas se deita. O que importa é não estar mais do que três horas e meia sem comer entre cada refeição. Só assim poderá manter normal o seu nível de açúcar no sangue, permitindo-lhe nunca ter fome e isso, juntamente com um prato de sopa, leva-o a nunca comer excessivamente nas refeições principais. Lembro também que uma alimentação equilibrada não se resume apenas a um almoço e jantar “pensados”. As pequenas refeições intercalares são igualmente importantes para que consiga ingerir todos os nutrientes indispensáveis a uma boa saúde.

Desejo-lhe uma boa “rentrée” alimentar!
Paula VelosoNutricionista e autora de Dietas sem DietaDieta sem Castigo e Peso, uma questão de peso.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.