EDUCAÇÃO

O Movimento da Escola Moderna

O MEM tem por base a pedagogia de Célestin Freinet, um professor francês, que desenvolveu um método natural de aprendizagem, no decurso do seu trabalho como docente do 1.º ciclo, iniciado em 1920.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
"Gostaria de ver abordadas as correntes pedagógicas alternativas, como a pedagogia Waldorf e o Movimento da Escola Moderna, onde a expressão insucesso escolar não faz sentido..."
Carla Guiomar

Em resposta a esta leitora, falaremos neste artigo do Movimento da Escola Moderna, remetendo para um artigo futuro a abordagem da pedagogia Waldorf.

O Movimento da Escola Moderna (MEM) é uma associação de professores e outros profissionais da educação já com algumas décadas de tradição em Portugal. Reconhecido pela Federação Internacional dos Movimentos da Escola Moderna em 1966, a Associação formalizou-se em 1976, começando a publicar o seu Boletim Escola Moderna em 1978.

O MEM tem por base a pedagogia de Célestin Freinet, um professor francês, que desenvolveu um método natural de aprendizagem, no decurso do seu trabalho como docente do 1.º ciclo, iniciado em 1920. Algumas das técnicas que mais se destacam na sua pedagogia são: a "aula-passeio", dada fora da sala de aula, como motivação para os alunos e pondo-os em contacto com a realidade; a produção de textos livres, quando e como a criança quer, a partir dos quais se faz a aprendizagem da leitura e da escrita, segundo o método natural; a imprensa escolar, com entrevistas, pesquisas, vivências, relatos de aulas-passeios e textos livres; a correspondência interescolar; o livro da vida, funcionando como um diário da turma; autoavaliação; e plano de trabalho. Atualmente estas técnicas contam com o apoio das novas tecnologias, como, por exemplo, o vídeo, o computador ou a Internet.

O MEM, na esteira de Freinet, pratica uma pedagogia de cooperação educativa, em que alunos e professores negoceiam atividades e projetos a desenvolver em torno dos conteúdos programáticos, tendo por base os interesses e saberes dos estudantes e o contexto cultural das comunidades. Esta organização cooperativa promove o desenvolvimento moral e cívico, a capacidade de iniciativa, a corresponsabilização dos alunos pela sua aprendizagem e a aprendizagem da democracia.

Definindo cada aluno um plano de trabalho autónomo, ao professor cabe acompanhar a sua execução e evitar a acumulação de dificuldades. Procura-se, assim, respeitar o ritmo e as características de cada estudante e garantir o sucesso de todos. Todos os alunos são implicados no sucesso de cada um, através do apoio prestado pelos que têm mais facilidade àqueles que apresentam mais dificuldades.

O MEM centra-se na formação contínua dos professores, que se processa num modelo de autoformação cooperada, para o que se organiza em grupos de trabalho cooperativo, que refletem sobre as suas práticas e partilham experiências e instrumentos de trabalho. Existem diversos espaços destinados a essa formação contínua, que vão desde reuniões regionais mensais a um congresso nacional anual. O MEM dispõe ainda do já referido Boletim 'Escola Moderna' e de um Centro de Recursos. A formação inicial é assegurada através de ações de formação que pressupõem o apoio ao professor na aplicação do modelo pedagógico às suas turmas.

Se pretende aprofundar esta temática ou recolher mais informações, poderá contactar o Movimento da Escola Moderna através dos seguintes contactos:

Morada: Rua do Açúcar, 22-B - Lisboa
Telefone: 21 868 03 59
E-mail: mem@mail.telepac.pt

Bibliografia:
Filho, A. L., Pedagogia Freinet e Direitos Humanos: discutindo o papel da educação escolar na construção de uma sociedade não violenta. (ou a vida na escola e não a escola preparando para a vida). Retirado em 28/12/2005 de www.ines.org.br/paginas/revista/espaco17/Reflexoes1.pdf
http://paginas.terra.com.br/educacao/Freinet/freb.htm
www.icem-freinet.info/
http://margarida-belchior.planetaclix.pt/mem.htm
Armanda ZenhasMestre em Educação, área de especialização em Formação Psicológica de Professores, pela Universidade do Minho. É licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, nas variantes de Estudos Portugueses e Ingleses e de Estudos Ingleses e Alemães, e concluiu o curso do Magistério Primário (Porto). É PQA do grupo 220 no agrupamento de Escolas Eng. Fernando Pinto de Oliveira e autora de livros na área da educação. É também mãe de dois filhos.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.