NUTRIÇÃO

Litíase biliar (cálculos na vesícula)

Tal como qualquer outra doença, o melhor remédio é mesmo evitá-la... E neste caso, como em muitas outras patologias, uma alimentação saudável poderá, mesmo que haja predisposição para tal, evitar que ela se desenvolva.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
O que é e como surge?
A litíase biliar é a solidificação da bile (suco digestivo) dentro da vesícula biliar como consequência de anomalias no metabolismo dos sais biliares e do colesterol. Embora não esteja associado a níveis elevados do colesterol sanguíneo, quando se encontra em altas concentrações na bile, o colesterol torna-se insolúvel e origina cálculos biliares. Pode também surgir se houver um frequente incompleto esvaziamento da vesícula. Nalgumas pessoas desenvolve-se apenas uma "pedra" enquanto que noutras podem surgir várias. O tamanho varia entre o de um grão de areia até ao de uma bola de golfe... Se não houver sintomas, pode não ser necessário qualquer outro tratamento além de cuidados alimentares, mas há muitos outros casos em que a remoção cirúrgica da vesícula é a solução mais adequada.

Sintomas
Quando há sintomas, estes devem-se normalmente ao encravamento de um cálculo no canal biliar ou pancreático. Os sintomas podem ser vários:
  • Dor súbita e intensa na zona superior direita do abdómen ou imediatamente abaixo do esterno;
  • Dor nas costas, mais propriamente entre as omoplatas ou apenas no ombro direito;
  • A cólica vesicular pode durar minutos ou horas;
Se tiver algum destes sintomas, sinais de icterícia ou febre alta com arrepios, deve procurar um médico com urgência.

Recomendações dietéticas
  • Praticar uma alimentação sã e adequadamente calórica para manter ou atingir um peso saudável. Devem evitar-se perdas de peso muito rápidas que se fazem à base de dietas de choque, uma vez que saltar refeições ou jejuar aumenta o risco de litíase.
  • Fazer quatro ou mais refeições diárias repartindo-as em intervalos de três a três horas e meia;
  • Ingerir diariamente cinco ou mais porções de frutas e legumes, evitando apenas aqueles com que se sente mal. Para o saber, poderá ser útil fazer um registo diário de alimentos e sintomas;
  • Uma vez que o sedentarismo aumenta também o risco de cálculos vesiculares, é desejável fazer no mínimo 30 min de exercício por dia, pelo menos quatro vezes por semana;
  • Reduzir a quantidade de gordura usada na confeção e tempero dos alimentos;
  • Preferir peixe e carnes magras e eliminar peles e gorduras visíveis de aves e carne;
  • Optar por laticínios magros (leite, queijo, iogurtes);
  • Evitar alimentos com elevado teor de gordura tais como fritos, produtos de pastelaria, azeitonas, amendoins, nozes ou outros frutos secos;
  • Bebidas com gás ou estimulantes do sistema digestivo como o café ou o chá devem também ser evitadas.
Fatores de risco
  • Excesso de peso ou obesidade
  • Alimentação rica em gordura ou colesterol
  • Alimentação pobre em fibras, logo em frutas e vegetais
  • História familiar de litíase biliar
  • Diabetes
  • Gravidez
  • Perda brusca de peso
  • Medicação para o colesterol ou com estrogénios para tratamento hormonal
(adaptado de Mayo Clinic)

Tal como qualquer outra doença, o melhor remédio é mesmo evitá-la... E neste caso, como em muitas outras patologias, uma alimentação saudável poderá, mesmo que haja predisposição para tal, evitar que ela se desenvolva.
Paula VelosoNutricionista e autora de Dietas sem DietaDieta sem Castigo e Peso, uma questão de peso.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários seja o primeiro!