NUTRIÇÃO

Azia, mal-estar frequente

Ao fazer intervalos regulares entre as refeições, de preferência de três em três horas, evita que a fome se acumule e assim venha a comer com abundância nas refeições principais, reduzindo assim a possibilidade de dilatação do estômago com as referidas consequências.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A azia, não sendo uma doença, é um sintoma que pode ser reflexo de alguma disfunção ou disfunções orgânicas. Consiste numa desagradável sensação de queimadura na garganta, ou de dor por trás do esterno, e que muitas vezes irradia também para o esófago. Nalgumas pessoas, pode causar tosse irritativa, quando atinge a garganta e "contamina" as vias respiratórias, e também mau sabor na boca.

Na realidade, estas sensações são provocadas por uma irritação do esófago, porção do tubo digestivo que conduz os alimentos da boca até ao estômago, cuja mucosa sofre uma irritação quando a "válvula" que deveria impedir o refluxo dos ácidos do estômago, não está a funcionar corretamente. Deste modo, as paredes do esófago, que não estão preparadas para acolher um conteúdo tão ácido como o do estômago, inflamam-se e, se o problema for persistente e frequente, poderão mesmo vir a sofrer ulceração.

Tal pode dever-se ou agravar-se por:
- um relaxamento do esfíncter esofágico inferior, devido a alterações hormonais como as que ocorrem durante a gravidez, embora neste estado a pressão que o feto exerce sobre o estômago possa ser também um fator responsável pela azia das grávidas;
- pelo hábito de fumar, uma vez que, segundo estudos recentes, a saliva dos fumadores tem uma composição em bicarbonatos diferente da dos não fumadores o que não permite que o ácido gástrico seja tão facilmente neutralizado;
- pela ingestão de refeições copiosas ou bebidas gaseificadas que distendem as paredes do estômago conduzindo a uma maior libertação de ácido pelo mesmo;
- pela existência de hérnia do hiato, entre outros.

Além destes fatores, sabe-se que muitos são os alimentos que podem causar azia. No entanto, tal como acontece relativamente a outras situações, não há uma lista de alimentos proibidos que funcione da mesma maneira com todas as pessoas. Há uma série de alimentos potenciais causadores de azia, mas o melhor mesmo é cada pessoa fazer um registo escrito daquilo que comeu no dia ou dias em que sentiu esse desconforto. Ao fazer o relacionamento da alimentação com o aparecimento dos sintomas, poderá mais facilmente concluir qual ou quais aqueles que lhe poderão causar o mal-estar.

Entre os alimentos mais identificados contam-se as gorduras, o café e outras bebidas estimulantes como o chá preto, o guaraná ou as colas, chocolate, alimentos ácidos como os citrinos ou os pratos à base de tomate, pratos muito condimentados com especiarias e também as bebidas alcoólicas.

Como evitar
É importante tentar identificar os alimentos que lhe podem causar azia pelo já referido registo dos alimentos ingeridos e sintomas associados.

Deve comer numa posição em que o estômago não esteja pressionado, como por exemplo numa mesa baixa em relação à cadeira.

Não deve usar calças ou roupa demasiado justa que provoquem uma compressão na zona gástrica porque isso provoca também a libertação de mais ácido pelo estômago.

Não deve deitar-se imediatamente a seguir a uma refeição abundante; se tiver que o fazer, coloque a cabeça sobre uma almofada que permita criar um ângulo de cerca de quarenta e cinco graus com o tronco.

Obviamente, deve evitar os alimentos e bebidas que sabe "culpados".

Se tiver excesso de peso deve reduzi-lo por este e outros motivos de saúde; o mesmo relativamente a deixar de fumar.

Caminhar a seguir a uma refeição maior pode facilitar a digestão e ajudar a minimizar o problema.

Ao fazer intervalos regulares entre as refeições, de preferência de três em três horas, evita que a fome se acumule e assim venha a comer com abundância nas refeições principais, reduzindo assim a possibilidade de dilatação do estômago com as referidas consequências.

Uma alimentação equilibrada, variada e sem exageros, quer nas quantidades quer nos temperos, poderá ser a melhor maneira de evitar o desconforto causado pela azia. Alguns medicamentos poderão também ajudar, mas deve aconselhar-se com o médico de família que terá em conta não só a sua história clínica como os efeitos positivos e negativos dos mesmos. Sobretudo, se apresentar sintomas de azia com frequência, e as medidas recomendadas atrás não lhe resolverem o problema, deverá consultar um especialista que avaliará se há qualquer outra causa para o problema.
Paula VelosoNutricionista e autora de Dietas sem DietaDieta sem Castigo e Peso, uma questão de peso.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários seja o primeiro!