PEDIATRIA

Quando é que o meu bebé pode beber leite de vaca?

Sabemos que a composição do leite varia de espécie para espécie de mamíferos. O leite materno preenche todas as necessidades nutricionais até aos 6 meses de vida, sendo também recomendado como leite de escolha entre o sexto e o décimo segundo mês, em conjunto com a diversificação alimentar.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A resposta é consensual a esta questão: nunca antes dos 12 meses de vida.
A alimentação do bebé é um tema que suscita muitas dúvidas e receios.


Facilmente percebe que estes doze primeiros meses de vida do seu filho são um período de grande transformação, crescimento acelerado e adaptação ao mundo exterior. O leite que lhe vai oferecer constitui a maior parte da sua alimentação (e é, até, a única fonte aconselhada nos primeiros 6 meses). Assim, queremos que nesta fase lhe forneça todos os nutrientes de que precisa e nas quantidades corretas.
Sabemos que a composição do leite varia de espécie para espécie de mamíferos. O leite materno preenche todas as necessidades nutricionais até aos 6 meses de vida, sendo também recomendado como leite de escolha entre o sexto e o décimo segundo mês, em conjunto com a diversificação alimentar.


O leite materno é, sem dúvida, o alimento ideal nos primeiros meses de vida, fornecendo praticamente todos os nutrientes necessários nas proporções adequadas, nomeadamente proteínas, gorduras, hidratos de carbono, vitaminas (pobre em vitamina D, por isso se dá suplemento), minerais (pobre em ferro - apesar de ser o leite em que o ferro é melhor absorvido - por isso se dá suplemento, em alguns casos) e água, mas é também uma substância ativa de grande complexidade, protege de infeções e alergias. Continuam ainda por descobrir muitos dos constituintes nutricionais e imunológicos do leite materno.
Quando não é possível o aleitamento materno, dispomos hoje de alternativas com outros leites (leites adaptados), com composição que tenta copiar, o mais fielmente possível, a do leite materno.
Todos os leites adaptados encontrados no mercado têm uma composição relativa em nutrientes que respeita os limites máximo e mínimo recomendados pela União Europeia. O leite de vaca em natureza não respeita esses limites, porque não fornece os nutrientes nas quantidades adequadas, não está adequado à imaturidade renal e digestiva do bebé e pode provocar alergias, anemia por lesão do intestino com hemorragia e aumentar o risco de doenças crónicas na idade adulta.


Há muitas razões para atrasar a introdução de leite de vaca enquanto o seu filho não completar 12 meses de vida.


Ferro
A introdução de leite de vaca na alimentação de uma criança com menos de 1 ano de idade está associada à anemia por deficiência de ferro. O leite de vaca tem grande quantidade de cálcio e caseína, constituintes que inibem a absorção de ferro o que, conjugado com o baixo conteúdo de ferro do leite de vaca, o torna insuficiente para repor as reservas do organismo essenciais para o crescimento acelerado nesta fase da vida. Para além disto, ocorre perda de sangue intestinal de forma oculta nos lactentes alimentados com leite de vaca, contribuindo assim para o défice de ferro.


Vitaminas e minerais
E não é só a falta de ferro. Crianças alimentadas com leite de vaca não recebem fonte suficiente de cobre, zinco, vitaminas A, C e E, ácido fólico e ácidos gordos essenciais.


Proteínas, sódio e potássio
Por outro lado, recebem carga excessiva de proteínas, sódio e potássio. As proteínas do leite de vaca são mais difíceis para a criança digerir e absorver.
O excesso de proteínas e minerais tem de ser excretado pelo rim, aumentando assim a carga renal. O rim tem de usar mais água para eliminar o excesso, o que pode causar desidratação importante na criança se as perdas não forem repostas.


Consequências a longo prazo
Diversos estudos têm avançado com consequências a longo prazo da introdução precoce do leite de vaca: pode afetar o crescimento e o desenvolvimento cognitivo, aumentar o risco de hipertensão arterial, diabetes e obesidade.


Como resultado de o aparelho gastrointestinal não estar totalmente desenvolvido, o consumo de leite de vaca por crianças com menos de 12 meses tem sido relacionado como um fator predisponente no aparecimento da alergia às proteínas do leite de vaca. Além disso, a exposição precoce da criança ao leite de vaca aumenta o risco não somente de reações adversas a este leite, como também de alergias a outros alimentos.


O iogurte, embora se trate de um alimento obtido a partir do leite de vaca, é bem tolerado pela diminuição do conteúdo em lactose e pela hidrólise parcial das suas proteínas. Recomenda-se a sua utilização a partir dos 10 meses. Atualmente existem no mercado iogurtes com uma composição mais adequada ao lactente, pela que a sua utilização poderá iniciar-se um pouco mais cedo.
Assim, na impossibilidade de amamentar o seu filho, antes de completar 12 meses de vida, opte por alimentá-lo com leite de fórmula, adaptado às suas necessidades nutricionais. O leite de vaca é completamente desaconselhado antes do primeiro ano de vida. Lembre-se que o barato agora pode custar-lhe caro no futuro.


Ângela Pereira e Manuela Costa Alves, com a colaboração da Henedina Antunes, pediatra doutorada em Pediatria na área da Nutrição, Serviço de Pediatria, Hospital de Braga

Serviço de Pediatria do Hospital de BragaEste espaço é da responsabilidade da equipa médica do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga, instituição certificada pelo Health Quality Service (HQS).
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A informação aqui apresentada não substitui a consulta de um médico ou de um profissional especializado.
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários seja o primeiro!