Docentes procuram Inglaterra para lecionar

A falta de professores em Inglaterra e a saturação do mercado em Portugal leva os docentes portugueses a procurarem saídas profissionais fora do país. O Instituto Britânico aconselha a candidatura diretamente em Inglaterra.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir

O espaço comum europeu e os constrangimentos do mercado de emprego podem vir a criar um novo fenómeno em Portugal. Já não são somente os estudantes a procurarem um curso universitário em Espanha. Os professores desempregados, ou com contratos, veem a falta de professores em Inglaterra como uma saída profissional válida.

Por enquanto, e apesar da liberdade de circulação de pessoas e bens na União Europeia, a candidatura de professores portugueses a escolas inglesas (que, como noticiou o EDUCARE.PT, esta semana, têm falta de professores) é uma novidade para a qual ainda não há muitas certezas. "Trata-se de um dado novo, mas que faz todo o sentido", declarou uma fonte do Instituto Britânico em Lisboa.

Regularmente, o Instituto Britânico, ou mesmo a Embaixada de Inglaterra em Lisboa, autenticam diplomas ou certificados de habilitações de alunos que pretendam fazer um curso de formação pós-licenciatura ou um mestrado em Inglaterra.

No entanto, é provável que os professores licenciados em Portugal, em diversas áreas, e com uma boa formação em Inglês comecem a confrontar o Instituto Britânico com a possibilidade de dar aulas em Inglaterra. "O melhor será que estes professores se candidatem diretamente às escolas onde sabem que há vagas ou, então, de uma forma mais generalizada, que o façam através do Ministério da Educação", aconselhou a mesma fonte.

A acentuada falta de profissionais docentes em Inglaterra foi noticiada pelo diário The Independent. Segundo este jornal, que cita um relatório do Ofsted, um organismo governamental de inspeção dos padrões da qualidade escolar, o problema duplicou desde o ano passado e parece estar a aumentar.

De acordo com os dados desse inquérito, muitos dos professores estrangeiros não conhecem suficientemente o currículo inglês para lecionar as suas disciplinas. Algumas das escolas foram forçadas a contratar mais de 100 docentes estrangeiros, a maioria dos quais oriundos da África do Sul, logo seguidos pela Jamaica e pelos norte-americanos.

A notícia editada no EDUCARE.PT gerou inúmeros comentários por parte de professores em busca de mais informações. Face à saturação do mercado de trabalho na educação em Portugal, a procura de emprego fora do país poderá vir a aumentar nos próximos anos.

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

Todas as informações sobre o reconhecimento dos cursos, os meios para receber formação e sobre o que é um "classroom assistant" encontram-se em: www.canteach.gov.uk/routes/otts/htm. Existe também uma linha de informação para professores, disponível através do número 08456000991.

Para obter mais informações sobre como dar aulas na Inglaterra terá de contactar o General Teaching Council for England, no endereço www.gtce.org.uk

Outros contactos:

British Council em Lisboa- 213 924 000

Ministério da Educação português: 217 931 603 ou www.min-edu.pt

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.