PCP antevê "maior despedimento de sempre de professores"

O PCP caracterizou como o "maior despedimento de sempre de professores" o anúncio do Ministério da Educação de encerrar 297 escolas do 1.º ciclo do ensino básico e aumentar o número de alunos por turma.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Em comunicado, o PCP referiu que os números divulgados significam mais 31 escolas encerradas do que as inicialmente previstas e mais dois alunos por turma do que o estabelecido.

O anúncio da tutela, para os comunistas, "só pode ser entendido à luz da decisão de reduzir significativamente o número de professores, dando seguimento às imposições da troika".

As medidas, sustentadas na "ideia de que é preciso 'emagrecer o Estado', não têm sequer em conta o interesse das crianças, nomeadamente quando põem em causa o sucesso escolar", lê-se no comunicado.

O PCP garantiu estar em "preparação uma grande operação de desvalorização da Escola Pública, colocando-a em pé de igualdade com as escolas privadas".

"Elevados níveis de instabilidade nas escolas, nomeadamente do corpo docente, contribuem não só para o aumento das retenções" como para o insucesso e procura pelo ensino privado financiado pelo Estado, acrescenta-se.

"O PCP tudo fará para que sejam criadas as condições de estabilidade profissional e de emprego para todos os trabalhadores das escolas, docentes e não docentes, a par da aprovação de medidas que visem a sua valorização e dignificação", disse o partido.

Na quinta-feira, o Ministério da Educação e Ciência anunciou o encerramento de 297 escolas e que os alunos desses estabelecimentos serão mudados para "centros escolares ou escolas com infraestruturas e recursos que permitem melhores condições de ensino".

A tutela indicou ainda que o processo "vai prosseguir no próximo ano letivo", assegurando que todos os encerramentos vão fazer-se "com o acordo das respetivas autarquias".

No mês passado, o ministro da Educação, Nuno Crato, tinha já anunciado que 266 escolas com menos de 21 alunos teriam garantidamente que fechar, indicando ao mesmo tempo que novas agregações de escolas estavam suspensas.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.