SIPE propõe simulação informática para colocar professores

O Sindicato Independente de Professores e Educadores (SIPE) propôs à tutela uma simulação informática que permitirá colocar professores no horário livre da escola mais próxima, anunciou hoje a estrutura sindical.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
De acordo com o sindicato, a proposta foi apresentada ao Ministério da Educação e à Direção Geral da Administração Escolar (DGAE).

O objetivo é fazer correr a aplicação informática que ditou os horários publicados em 25 de agosto e os relativos à primeira reserva de recrutamento, a fim de verificar onde deveriam ter sido colocados os docentes que foram deslocados para centenas de quilómetros da sua opção, explicou o SIPE em comunicado.

Para este sindicato, a solução passaria por “identificar onde deveriam ter sido colocados os docentes deslocados para centenas de quilómetros das suas áreas de residência” e colocá-los no horário disponível da escola mais próxima, num raio de 20 quilómetros.

“Se não houver horário em nenhum agrupamento, ficam a aguardar na última escola de colocação”, refere-se no texto divulgado pelo SIPE.

O sindicato considera que o ministério não pode adiar mais a resolução deste problema, pelo que solicitou uma reunião com caráter de urgência ao ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, à semelhança do que fizeram as federações sindicais de professores, que serão recebidas no ministério na sexta-feira.

O SIPE tenciona também solicitar à tutela a abertura de um processo negocial para um novo concurso de professores, em que todos sejam colocados de acordo com a graduação profissional.

Os professores têm alegado injustiças nas colocações determinadas pela mobilidade interna e pela reserva de recrutamento, instrumentos que completam o concurso geral nacional.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.