Parlamento aprova recomendações do BE e PCP para uniformização do calendário escolar

    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
A Assembleia da República aprovou hoje dois projetos de resolução, apresentados pelo PCP e pelo BE, para a uniformização do calendário escolar no ensino pré-escolar e básico.

Ambas as recomendações ao Governo foram aprovadas com a abstenção do PS e do PSD e votos favoráveis das restantes bancadas.

A iniciativa apresentada pelo PCP refere as "preocupações manifestadas pela comunidade escolar relativamente ao calendário escolar, em particular quanto às diferenças existentes na determinação da atividade letiva para a educação pré-escolar e para os diversos ciclos do ensino básico".

Para os bloquistas, há que "corrigir o que está errado e devolver aos educadores de infância um calendário escolar que, a exemplo dos seus colegas dos outros ciclos de ensino, proporcione tempo adequado para a avaliação das crianças e para a programação e preparação das atividades, em condições de total igualdade".

"A distinção entre os calendários escolares foi sentida pelos Educadores de Infância como uma desvalorização da componente pedagógica do seu trabalho e, também nessa medida, importa sinalizar a importância que o Estado confere ao trabalho dos Educadores de Infância, imprescindível na construção de percursos de sucesso escolar e educativo das crianças, como toda a literatura tem vindo a enfatizar", lê-se na recomendação apresentada pelo BE.
    • a
    • a
  • comunidade
  • comentar
  • imprimir
Comentários
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente para assinar os comentários
  • submeter
  • cancelar
  • visualizar
Não existem comentários. Dê-nos a sua opinião!
 
Para salvaguardar o bom funcionamento deste espaço, todos os comentários são sujeitos a um processo de filtragem e validação editorial, pelo que só serão aceites participações sem linguagem obscena, difamatória, ameaçadora ou caluniosa.

O EDUCARE.PT reserva-se o direito de não validar todos os comentários que não se enquadrem nestes pressupostos e que não se relacionem, única e exclusivamente, com a atualidade educativa.
Recordamos ainda que todas as mensagens são da exclusiva responsabilidade dos participantes, nomeadamente, no que respeita à veracidade dos dados e das informações transmitidas.